“Pode não”. Vendedora nega pedido de Bolsonaro para entrar em barraca

O presidente estava sem máscara em visita a regiões periféricas do Distrito Federal e queria entrar em uma tenda que vendia frango

atualizado 11/04/2021 10:23

Jair Bolsonaro em passeio de motoArthur Menescal/Especial Metrópoles

Jair Bolsonaro (sem partido) aproveitou o sábado (10/4) para andar pelas ruas do Distrito Federal. Entre uma parada e outra, ele resolveu comer frango em uma tenda em São Sebastião, região carente do DF. Mas uma recusa inusitada marcou a visita.

O presidente, que estava sem máscara, pediu para entrar no espaço cercado por fitas de isolamento, quando a vendedora respondeu: “Pode não. Não sabe ficar do lado, por quê?”. Em seguida, ela riu.

Enquanto isso, outro vendedor tentou deixar a situação menos constrangedora e declarou que “quem manda é ele”, em referência ao presidente. Ele disse ainda que o chefe do Executivo poderia ficar à vontade. Mas a mulher continuou:”Depois o povo pega a gente, nós estamos lascados”, afirmou. Bolsonaro, então, comeu em cima de uma caixa de isopor, do lado de fora da tenda.

O “povo” ao qual a ambulante se refere são as equipes de fiscalização do GDF. Embora espaços gastronômicos tenham autorização para funcionar das 11h às 19h, eles precisam ter estrutura para receber clientes de forma segura. Além disso, é obrigatório o uso de máscaras para circular pelos estabelecimentos.

Mais cedo, neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro visitou um grupo de venezuelanas em São Sebastião. Por lá, fez declarações polêmicas, como, por exemplo, a de que na Venezuela se comem cachorros, gatos e até cavalos.

Últimas notícias