PMs convocam apoio aos atos antidemocráticos de 7 de Setembro

Na segunda-feira, João Doria afastou policial militar que convocou "amigos" para manifestação. O caso, no entanto, não é isolado

atualizado 24/08/2021 13:39

Polícia Militar de Goiás (PMGO)Vinícius Schmidt/Metrópoles

Após João Doria afastar o coronel da ativa Aleksander Lacerda da Polícia Militar de São Paulo por convocar “amigos” para manifestação contra instituições democráticas, um levantamento do Estadão mostrou que o caso não foi isolado. Nas redes sociais, diversos policiais militares da ativa e da reserva publicaram convocações para os atos em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em 7 de Setembro.

Segundo o jornal, são policiais de patentes variadas, inclusive deputados-PMs, alocados em estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Espírito Santo, Ceará e Paraíba. O assunto foi tratado durante uma reunião com 25 governadores, em que as autoridades concordaram que o apoio a atos com caráter inconstitucional, com ameaças de invasão do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso, não pode ser definido apenas como liberdade de expressão.

No Rio de Janeiro, o sargento da ativa Eduardo da Silva Marques Junior, conhecido como sargento Da Silva, compartilhou com os 162 mil seguidores no Facebook uma imagem em que aparece ao lado do presidente. “Soldados do Povo! Guerreiros por Natureza! 7 de Setembro será um grande dia! Milhões de cidadãos de bem de todas as regiões do Brasil estão com o senhor!”, escreveu o policial no último domingo (22/8). A PM do Rio ainda não se manifestou sobre o caso.

Nas redes sociais do subtenente de Santa Catarina Rudinei Floriano, que atua como presidente do Inmetro desde 2019, críticas contra ministros do STF são comuns. O PM compartilhou uma imagem da bandeira do Brasil, com a legenda: “#Dia7VaiSerGigante”. Floriano, que ocupava o lugar de primeiro-suplente do PSL, assumirá a cadeira do deputado estadual coronel Mocellin.

O deputado Sargento Lima (PSL), do mesmo estado, também compartilhou convocações aos atos. “Chamar de gado é fácil. Difícil vai ser aguentar o estouro da boiada. Vai ser gigante em SC”. Ambos preferiram não comentar se também pedem que militares da ativa compareçam.

0

Já na Paraíba, o cabo Gilberto Silva, deputado do PSL, também ecoou apoio aos atos do Dia da Independência. “Quem vai dia 7? Acabou a democracia. Temos que lutar pela nossa liberdade.”

Na Assembleia do Espírito Santo, o capitão Assumção (PSL) foi outro PM a publicar convocações às manifestações de 7 de Setembro. “Chegou a hora do basta!”, escreveu.

Segundo o jornal, a cúpula das PMs vê o apoio aos atos antidemocráticos como algo pontual, mas sinaliza uma generalização dos posicionamentos.

Mais lidas
Últimas notícias