Picos de energia podem ter levado a incêndio no CT, diz Flamengo

Em pronunciamento, CEO do clube carioca afirmou ainda que o rubro-negro não foi omisso com garotos da base que morreram em tragédia

REGINALDO PIMENTA/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDOREGINALDO PIMENTA/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 09/02/2019 17:37

O CEO do Flamengo, Reinaldo Belotti, afirmou, em pronunciamento na tarde deste sábado (9/2), que picos de energia podem ter levado o ar-condicionado do Centro de Treinamento (CT) Ninho do Urubu a pegar fogo e iniciar o incêndio. As chamas resultaram na tragédia que vitimou 10 jogadores da base do clube na madrugada de sexta-feira (8). O Corpo de Bombeiros ainda investiga as causas do acidente.

O executivo ainda defendeu o clube das críticas de que teria sido omisso com os garotos. “Aconteceu um acidente trágico. Não foi por falta de investimento ou cuidado. Nunca poupamos esforços para cuidar dos meninos. Eles são nossos maiores tesouros”, disse Belotti.

O dirigente assegurou ainda que os aparelhos de ar-condicionado estavam funcionando perfeitamente. “Tudo estava em perfeita ordem. O que sabemos apenas é que o problema começou no ar. Mas no dia anterior, tinham ocorrido vários problemas com energia na cidade do Rio de Janeiro”, completou, referindo-se ao forte temporal que inundou ruas e provocou uma série de transtornos – incluindo mortes – na capital fluminense.

Esse foi o segundo pronunciamento oficial do time. Na sexta-feira, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, havia afirmado que o desastre era a “maior tragédia pela qual o clube passou nos últimos 123 anos”.

Tragédia
O incêndio que destruiu o CT do Flamengo e tirou a vida de 10 pessoas começou por volta das 5h de sexta. O local foi completamente consumido pelo fogo. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio foi controlado por volta das 7h30.

A tragédia do Flamengo sensibilizou outras equipes de futebol, o meio político, artistas, entidades sociais e a comunidade internacional. Corinthians, Fluminense, Vasco, entre outros, se manifestaram a respeito do tema.

presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) também fizeram publicações se solidarizando com as famílias dos jovens atletas mortos no desastre.

Entre os famosos, Preta Gil e Neymar, entre dezenas de outros, usaram as redes sociais para expressar seus sentimentos.

Últimas notícias