Vice-presidente, Hamilton Mourão, se solidariza com Flamengo

Em postagem nas redes sociais, o general se disse profundamente triste com a tragédia que tirou a vida de 10 jogadores da base do time

Romério Cunha/VPRRomério Cunha/VPR

atualizado 08/02/2019 11:57

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), se solidarizou com as famílias das vítimas da tragédia ocorrida na madrugada desta sexta-feira (8/2) no Centro de Treinamentos (CT) do Flamengo, em Vargem Grande, no Rio de Janeiro. O general da reserva se disse “profundamente triste” e decretou “toque de silêncio”.

“Como torcedor e esportista solidarizo-me com as famílias, o Clube e a Nação Rubro-Negra”, disse ele em publicação feita na manhã desta sexta.

Desastre
Pelo menos 10 pessoas morreram e três ficaram feridas em um incêndio de grandes proporções no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, no Rio de Janeiro. As chamas começaram na madrugada desta sexta-feira (8), por volta das 5h.

O local foi completamente consumido pelo fogo. Entre os feridos, está uma pessoa em estado grave. As vítimas encaminhadas ao hospital foram identificadas como Cauã Emanoel Gomes Nunes, de 14 anos, Francisco Diogo Bento Alves e Jonathan Cruz Ventura — as idades não foram informadas. Cauã é de Fortaleza e está há três anos no Rio.

Segundo as primeiras informações, o alojamento onde ficavam atletas da base cujas famílias moravam longe ou fora do Rio de Janeiro foi totalmente consumido pelas chamas. Os jogadores têm entre 14 e 17 anos.

Não se sabe ainda as circunstâncias do incêndio. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio foi controlado por volta das 7h30.

“A gente tem o local, que é o alojamento, onde os jogadores da base do Flamengo dormiam. A identificação das vítimas é feita posteriormente pela Polícia Civil”, disse o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Douglas Henaut, em entrevista a TV Globo.

Últimas notícias