Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias pelo 3º dia seguido

O litro do combustível terá diminuição de 0,72% a partir de sexta-feira (25/5), passando de R$ 2,0306 para R$ 2,0160

atualizado 24/05/2018 14:43

JP Rodrigues / Especial para Metropoles

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (24/5) mais uma redução no valor do combustível nas refinarias. Esta é a terceira queda em três dias. O litro da gasolina terá diminuição de 0,72% a partir de sexta-feira (25), passando de R$ 2,0306 para R$ 2,0160.

Já o diesel ficará com preço congelado por 15 dias, a R$ 2,1016, conforme anunciou a estatal nessa quarta (23). De acordo com Pedro Parente, presidente da petrolífera, a redução de 10% no diesel é em caráter excepcional e vai gerar um desfalque aos cofres da empresa de cerca de R$ 350 milhões.

Na visão de Parente, a solução definitiva deve passar pela discussão da redução das cargas tributárias federal e estadual. Em reunião realizada mais cedo entre o governo federal e os caminhoneiros, representantes do movimento defenderam que fosse retirado do preço do diesel a incidência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), do PIS/Pasep e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). No entanto, o encontro terminou sem acordo, embora o governo tenha concordado em eliminar a cobrança da Cide sobre o combustível.

Diante da situação, o presidente Michel Temer chegou a pedir aos caminhoneiros uma trégua de três dias para a busca de uma solução satisfatória. Pedro Parente, porém, nega que o governo tenha solicitado o auxílio da Petrobras. Segundo ele, a decisão foi tomada exclusivamente pela diretoria da estatal e o único contato feito hoje com o chefe do Executivo nacional foi para comunicá-lo da medida. O titular da empresa petrolífera também negou que a dinâmica seja resultado de pressão.

Protestos 
Diante da crise no setor, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) informou na manhã desta quinta-feira (24) que o movimento de paralisação da categoria só terminará quando a redução de impostos dos combustíveis for publicada no Diário Oficial da União (DOU). Em nota, o movimento disse “não acreditar mais nas promessas do governo” e, por isso, a paralisação só chegará ao fim no momento em que a decisão “virar lei”.

Nas estradas que cortam o DF, os caminhoneiros estavam em sintonia com o líder da entidade sindical. Em frente ao posto Asa Branca, no Km 14 da BR-060, um grupo fechou parte da rodovia com cones e liberava para passagem somente de carros de passeio. (Com informações da Agência Brasil)

Últimas notícias