Pastor preso acusado de ser chefe de facção afirma: “Calúnia, difamação”

O homem foi detido nessa quinta-feira (29/10)

atualizado 30/10/2020 11:23

pastor Elisamar Miranda JoaquimDivulgação

O pastor Elisamar Miranda Joaquim, detido na última quinta-feira (29/10), publicou um texto nas redes sociais onde dizia que era vítima de perseguição política e se defendeu das acusações pelas quais foi preso.

Segundo a operação conjunta da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) e do Ministério Público do Rio (MPRJ), Elisamar, que é candidato a vereador pelo PDT em Belford Roxo, foi detido após ser apontado como um dos chefes da facção Comando Vermelho, que atuava no Complexo do Roseiral, na Baixada, além disso, ele estava envolvido com o tráfico de drogas.

Leia mais em O São Gonçalo, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias