“O Estado é laico, mas a população é religiosa”, declara Covas em igreja

Prefeito reuniu-se com evangélicos em quatro eventos neste domingo (22/11): "Dia de oração"

atualizado 22/11/2020 16:17

Fábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas, visitou quatro igrejas evangélicas neste domingo (22/11), tendo inclusive reuniões com jovens e pastores, mas negou que estivesse em campanha eleitoral.

“Hoje foi um dia para parar um pouco a campanha, dia de oração, agradecer as orações que tenho recebido desde que fui internado no hospital até agora”, declarou Covas em conversa com a imprensa, após passagem pela Assembleia de Deus, no Belém, zona leste da cidade. “O Estado é laico, mas a população é religiosa”, acrescentou.

Covas tem vantagem de 52% contra 29% do adversário, Guilherme Boulos (PSol), nas pesquisas de intenção de voto para o segundo turno. “Nossa ação é para todos. Fico muito feliz de estar na frente, mas pesquisa não substitui eleições”, comentou.

O prefeito nega estar negociando quaisquer vantagens para o eleitorado evangélico em troca de votos. “Não há nenhum tipo de compra de apoio. A lei de anistia de edificações legalizou mais de 200 mil imóveis na cidade de São Paulo, templos e não templos, comércios, residências, beneficiou a todos da mesma forma, portanto não é nenhuma ação específica para a Igreja”, afirmou.

Segundo ele, são as igrejas que ajudam a prefeitura a atender as populações carentes, e não o contrário. “Em especial neste momento de pandemia, nós pedimos para que eles reforçassem toda ação social que eles fazem, a distribuição de alimentação e cesta básica, para não deixar ninguém passar fome”, contou.

“Nosso compromisso é seguir da mesma forma que governamos a cidade, pra todos, sem nenhum tipo de distinção, respeitando todos credos, cores e raças. É o nosso compromisso com eles”, disse Covas.

Últimas notícias