Bruno Covas estuda criação da “Lava Jato municipal” proposta por Joice

Estrutura de combate à corrupção na cidade seria coordenada por deputada, que declarou apoio ao prefeito nessa quinta-feira

atualizado 20/11/2020 14:41

Bruno Covas, prefeito de São PauloFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), confirmou nesta sexta-feira (20/11) que estuda incorporar propostas da candidata Joice Hasselmann (PSL), que declarou na quinta apoio ao tucano no segundo turno. Entre elas está a criação de uma “Lava Jato municipal”, sob a liderança da deputada federal.

“Conversei com a deputada e o presidente do PSL estadual, deputado Júnior Bozzella, para que viesse somar força com a gente. Me comprometi a levantar alguns pontos do programa de governo dela para que a gente incorporasse ao nosso”, afirmou.

Segundo o prefeito, as equipes das duas campanhas avaliam quais pontos podem ser levados ao programa do tucano. “Tem um que ela (Joice) insiste muito e estamos analisando de que forma fazer isso, seria uma Lava Jato municipal. Estamos vendo de que forma a gente ajuda a montar uma estrutura que ela possa inclusive coordenar, uma estrutura que não é participar da prefeitura, não é de emprego público, não é com cargos público, mas com pessoas de fora da prefeitura para ajudar a dar uma olhada em todos os contratos que a prefeitura tem”, afirmou.

Questionado sobre como seria a participação de Joice, Covas disse que a deputada federal ajudaria a verificar nomes de “pessoas isentas, imparciais e de fora da prefeitura” para ajudar no trabalho. “Essa questão jurídica é que nós estamos analisando, de que forma realizar para poder incorporar um discurso de combate à corrupção, que também é uma bandeira nossa”, disse o prefeito.

Covas afirmou ainda que não vê problema em reunir na base de apoio Joice e Celso Russomanno (Republicanos), que fizeram duras críticas ao prefeito no primeiro turno.

“Se a gente tivesse mais convergência do que divergência, eles teriam apoiado a gente no primeiro turno, mas no segundo turno é uma outra realidade e, portanto, eles se identificaram muito mais com a nossa candidatura, apesar de todas as divergências, do que com a candidatura adversária”, justificou o prefeito.

0

O candidato à reeleição foi nesta sexta-feira a um evento da central sindical da UGT, que reafirmou o apoio a Covas no segundo turno.

“O prefeito, candidato à continuidade, está aqui de forma humilde como sempre foi, sempre nos atendeu, e essa é a diferença. Nós não estamos falando do ponto de vista ideológico, estamos falando do ponto de vista pragmático, estamos falando do ponto de vista político de dar solução a questões importantes”, afirmou o presidente da UGT, Ricardo Patah, acrescentando que os sindicatos tiveram as demandas atendidas pelo prefeito.

Últimas notícias