No WhatsApp, Bolsonaro compartilha manifesto de empresários contra STF

Manifesto defende sites que foram desmonetizados por divulgar fake news e criticar o sistema eleitoral brasileiro

atualizado 01/09/2021 11:14

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou no Whatsapp manifesto da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) com ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF), segundo a Folha de S. Paulo.

A entidade havia se recusado a assinar o manifesto da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com mais de 200 signatários que pede a harmonia entre os Três Poderes e tem como objetivo mostrar o incômodo do empresariado com a crise institucional provocada por ataques do governo.

Já no texto encabeçado pela Fiemg, intitulado “Manifesto pela liberdade”, a entidade afirma que espera que a “exacerbação” do STF “seja revisada”.

O manifesto também defende sites investigados por divulgar notícias falsas sobre o processo eleitoral brasileiro e o Supremo Tribunal Federal (STF). “Nas últimas semanas, assistimos a uma sequência de posicionamentos do Poder Judiciário, que acabam por tangenciar, de forma perigosa, o cerceamento à liberdade de expressão no país”, dizem os empresários no texto.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

“Em nosso entender, impor sanções sem o devido processo legal, contraditório e ampla defesa é uma precipitação, além de inequívoca afronta à Constituição Federal”, afirmam sobre a desmonetização desses sites.

O empresário Salim Mattar, da Localiza, é apontado como o principal responsável pelo manifesto. Ele chegou a ocupar um cargo no governo Bolsonaro, em 2019.

Mais lidas
Últimas notícias