“Não ameaçou a gente”, conta vítima de sequestro na ponte Rio-Niterói

Segundo o homem, o criminoso tinha uma faca, um taser — uma arma de choque — e uma pistola, que depois foi identificada como de brinquedo

atualizado 20/08/2019 10:20

Reprodução/TV Globo

Uma das vítimas do sequestro de um ônibus na ponte Rio-Niterói, o passageiro Hans relatou à Globo News os momentos vividos dentro do coletivo. Segundo o homem, o sequestrador tinha uma faca, um taser — arma de choque — e uma pistola, que depois foi identificada como de brinquedo.

O criminoso entrou no ônibus por volta das 5h30 desta terça-feira (20/08/2019), em uma parada na ponte Rio-Niterói, e logo anunciou o sequestro. “Ele não ameaçou a gente, disse que não queria machucar ninguém, que todo mundo tinha que ficar tranquilo e ia ter muita história para contar.”

Sobre a libertação dos reféns, Hans frisou que o sequestrador pintou as janelas com tinta spray com o objetivo de impedir que o interior do veículo fosse visto. O forte cheiro do produto fez com que algumas pessoas se sentissem mal. “Nós fomos negociando, falando que o pessoal estava passando mal e ele ia liberando”, disse.

Hans informou ainda que o sequestrador pouco falava. “Ele se comunicava por um rádio, mas não dava muito para ouvir o que falava. Em um momento, pediu R$ 30 mil para liberar os reféns”, completou.

Últimas notícias