Mulher que ficou pendurada em prédio relata “momentos aterrorizantes”

Jarliana Santos instalava painel de lona em edifício em Goiânia quando foi surpreendida pela forte chuva. Veja as imagens

atualizado 26/02/2021 16:27

Alpinista industrial fica presa em prédio durante forte temporalReprodução

Jarliana Santos Silva, uma alpinista industrial – trabalha em alturas elevadas na construção civil – , relatou os “momentos aterrorizantes” que viveu quando ficou pendurada na fachada de um prédio durante um temporal, em Aparecida de Goiânia (GO). Uma pessoa que passava pelo local registrou o momento de tensão.

Assista:

“Foram momentos aterrorizantes. Há seis anos eu faço esse tipo de trabalho e eu confesso que nunca tinha passado algo igual ou parecido”, disse Jarliana em entrevista ao jornal Anhanguera.

O caso aconteceu na tarde dessa quinta-feira (25/2). Jarliana e um colega de trabalho foram pegos de surpresa por uma chuva intensa enquanto instalavam um painel de lona em um prédio na Vila São Tomaz. O amigo foi o responsável por ajudá-la a subir para o topo do edifício.

Em nota, a empresa que contratou os profissionais para fazer a instalação da fachada, Joy Digital Comunicação, ressaltou que eles estavam com todos os equipamentos de proteção individual (EPI) exigidos por lei. Disse ainda que o Corpo de Bombeiros foi acionado para auxiliar um possível resgate, mas “não foi necessário, já que as medidas adotadas pelos profissionais funcionaram perfeitamente”.

“De manhã, nós descemos na fachada e tiramos a lona. Após o almoço, voltamos para colocar a lona nova, e a gente viu a chuva chegando. Olhamos, e falamos: ‘Vamos descer’. Só que na hora que a gente desceu, o vento veio. E quando o vento veio, eu falei para o meu companheiro: ‘Desce, segura meus cabos, que eles estão indo para os fios, para a rede de alta tensão’”, relata Jarliana.

Ela ainda disse que, mesmo com o colega descendo rapidamente, os cabos que a seguravam se enroscaram em outros fios, o que dificultou sua descida.

“Quando ele desceu, um dos meus cabos já tinha se enroscado em um dos fios, não teve como eu descer mais, porque o vento estava muito forte. Onde eu estava, eu ainda conseguia segurar na estrutura de ferro, se eu descesse com aquele vento todo, eu iria bater na quina do prédio. Aí seria pior. Poderia ter me machucado muito”, disse.

Ao perceber que teria de ficar pendurada esperando a ventania amenizar, a alpinista conta que começou a orar: “Eu fiquei lá quietinha, segurei na mão de Deus e falei : Senhor, estou nas suas mãos’. Na hora a gente não pensa em muita coisa. Eu que sou uma cristã, a única coisa que eu fiz no momento foi orar ao senhor”.

Jarliana saiu do incidente sem ferimentos, mas afirmou que os momentos serviram de experiência para ela.

“Foram momentos terríveis, porque a lona se soltou e, quando ela descia, batia em mim. Foram mais de horas segurando o vento, a chuva, a lona batendo em mim, e graças a Deus, deu tudo certo. Agora mais experiente. Aconteceu de ver uma nuvenzinha, já desço, já vou ficar em terra”, finaliza.

Últimas notícias