MPRJ pede que Google seja multado por não liberar dados sobre Marielle

O órgão alega que acesso às informações é vital e quer que a Justiça cobre multa diária de R$ 100 mil, podendo chegar a R$ 5 milhões

atualizado 12/10/2020 10:42

ReproduçãoReprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) protocolou uma ação, na quinta-feira (8/10), na 4ª Vara Criminal da Comarca da Capital do estado, pedindo que seja aplicada uma multa diária ao Google até que a empresa disponibilize os dados de pessoas que buscam pelos nomes de Marielle Franco (PSol) e Anderson Gomes. A medida foi determinada pela Justiça, mas o órgão argumenta que ordem não foi atendida.

No documento, o MPRJ requer que seja aplicada a multa diária de R$ 100 mil até o limite de R$ 5 milhões, contada desde o dia 27 de agosto de 2018 – data da primeira ordem judicial deferida.

Os promotores alegam que o acesso às informações privadas é vital para a elucidação dos demais envolvidos no crime e identificação dos mandantes.

“Atualmente, com o avanço da tecnologia, os criminosos têm especializado o requinte de sua atuação, fazendo uso constante de plataformas de mensagens instantâneas criptografadas, bem como de artifícios como a dessincronização de dados, desativação de backups, entre outros, com o nítido fim de ocultar os rastros de suas atividades criminosas – daí a necessidade de inovar nas técnicas de investigação”, diz trecho da ação.

0

 

Últimas notícias