MPF investiga denúncia de aglomeração em centro da Marinha no Rio

alunos do Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA) convivem com alojamentos lotados e desrespeito às medidas de proteção.

atualizado 11/04/2021 15:42

Rio de Janeiro – O Ministério Público Federal (MPF) abriu uma investigação após denúncias de possíveis aglomerações e de descumprimento de protocolos sanitários em uma base da Marinha no Rio de Janeiro.

Militares do Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), unidade da Marinha responsável pela formação de cabos e sargentos, denunciam que o quartel tem desrespeitado as medidas de proteção contra a proliferação da Covid-19. As informações são do G1.

De acordo com o portal, a Marinha nega as acusações e diz que segue medidas de distanciamento social e os protocolos clínicos e terapêuticos divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Imagens feitas na unidade e enviadas por militares que frequentam o local mostram alojamentos lotados, militares sem máscara de proteção e pouco distanciamento em atividades ao ar livre.

Veja o vídeo:

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, aposta na conscientização dos cariocas para flexibilizar medidas de isolamento social, mesmo em bandeira roxa — risco “muito alto” para a Covid-19 e fila ainda grande para vaga em UTIs. Contudo, diz que pode voltar atrás e aplicar medidas rígidas. No país já foram registradas mais de 350 mil mortes por Covid-19.

Últimas notícias