MP flagra vacinas em temperatura inadequada em duas cidades do Rio

Órgão pediu explicações, em 48 horas, sobre o acondicionamento dos imunizantes em São Gonçalo e Itaboraí

atualizado 05/03/2021 20:10

Rio de Janeiro – O Ministério Público do Rio de Janeiro estipulou prazo de 48 horas para os municípios de  São Gonçalo e Itaboraí, na Região Metropolitana,  prestarem informações sobre o armazenamento das vacinas contra a Covid-19.

Em visita técnica aos municípios, foram constatadas irregularidades como o uso de geladeiras domésticas com temperaturas inadequadas, no lugar de câmaras refrigeradas.

Nos pontos de vacinação, foi detectado o uso de caixas térmicas com termômetro ineficaz ou com temperatura inadequada para a conservação das vacinas.

“Refrigeradores de uso doméstico, projetados para a conservação de alimentos e produtos que não demandam precisão no ajuste da temperatura, não são mais indicados para o armazenamento e conservação dos imunobiológicos. Segundo o Manual de Rede de Frio do Ministério da Saúde, as instâncias que ainda utilizam tais equipamentos devem proceder, no menor prazo possível, à substituição gradativa por câmaras refrigeradas cadastradas pela Anvisa”, destaca trecho das recomendações enviadas aos municípios.

Últimas notícias