MP denuncia homem que arrastou cadela na moto e causou morte do animal

Caso ocorreu em Mozarlândia (GO). Homem foi preso preventivamente por maus-tratos. O animal chegou a ser socorrido, mas não resistiu

atualizado 20/07/2021 17:58

goias homem arrasta cachorro em motoDivulgação/PCGO

Goiânia – O Ministério Público de Goiás (MPGO) denunciou, por maus-tratos a animais, esta semana Alex Alves da Silva, de 43 anos, morador de Mozarlândia, a cerca de 300 km da capital goiana, por arrastar por 1,5 km uma cachorra pelo asfalto, provocando ferimentos que levaram o animal à morte.

O crime de maus-tratos a animais é previsto na Lei nº 9.605/1998, com pena de reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda, podendo essa sanção ser aumentada de um sexto a um terço se ocorrer a morte do animal, o que foi o caso.

A 1ª Promotoria de Justiça da comarca também requereu a fixação de um valor mínimo para reparação do dano imaterial causado pela infração, a título de dano moral coletivo.

Na denúncia, o promotor de Justiça Huggo Edgard de Campos Silva relata que o homem, de forma consciente e voluntária, utilizando-se da motocicleta que conduzia, praticou ato de maus-tratos a uma cachorra, ao arrastá-la pelo asfalto amarrada dentro de um saco preso à motocicleta em movimento, o que causou a morte do animal.

O caso

O homem foi preso preventivamente pelo crime de maus-tratos qualificado majorado. Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), o indivíduo foi flagrado arrastando uma cachorra viva dentro de um saco, amarrada a sua moto, por cerca de 1,5 km.

O caso aconteceu no dia 8/7. Populares ouviram o latido e choro do animal enquanto era arrastado pelo homem e, mesmo com gritos para que ele parasse o veículo, ele continuou com a tortura. De acordo com a polícia, os transeuntes conseguiram seguir o indivíduo, que jogou a cadela em uma região de mata.

O animal chegou a ser socorrido pela equipe de Fiscalização Ambiental de Mozarlândia e foi levado para um ONG protetora de animais, no entanto, ele não resistiu e morreu no dia seguinte. A cachorra tinha lesões extensas, em carne viva, tendo perdido grande parte do pelo, em decorrência da fricção e atrito com o asfalto.

Veja o vídeo:

 

Cachorro da vizinha

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Ricardo Ramos, o homem alegou que o cachorro era de uma vizinha dele, idosa de 72 anos, que teria pedido para o homem se desfazer do animal, que estaria morto.

“Nós já fizemos um relatório que foi enviado à Justiça e pedimos um exame de sanidade mental da vizinha, que apresenta algum nível de comprometimento mental. Por isso, não sabemos exatamente o nível de compreensão dela para que possa ser responsabilizada. Porém, o homem foi alertado, só ele disse não saber que o animal estava vivo”, afirmou o investigador.

0
Tentativa de fuga

Ainda segundo a PCGO, o homem teria abandonado o veículo e fugido para a região de mata a pé, com o objetivo de despistar os policiais. A moto foi apreendida e deve ser leiloada. Já o indivíduo foi preso e encaminhado ao presídio da cidade, onde está à disposição da justiça.

O Metrópoles não conseguiu contato com a defesa do denunciado.

Últimas notícias