Mourão comemora aprovação da vacina: “Anvisa fez excelente trabalho”

Por unanimidade, a agência autorizou neste domingo (17/1) o uso emergencial dos imunizantes contra Covid-19, Coronavac e Oxford/AstraZeneca

atualizado 18/01/2021 9:53

Bruno Batista/ VPR

Um dia após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso emergencial da Coronavac e Oxford/AstraZeneca, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), comemorou a decisão e afirmou que a “Anvisa fez um excelente trabalho”.

“Há três meses, eu disse que nós teríamos vacina, que seria aprovada. A Anvisa fez o excelente trabalho dela, temos duas vacinas aprovadas. Vacina contratada para, até o fim do ano, vacinar 70% da população brasileira e consequentemente chegaremos numa situação, ao fim deste ano, com liberdade de manobra em relação a essa pandemia”, disse nesta segunda-feira (18/1).

Apesar da aprovação da vacina, Mourão defendeu a continuidade das medidas de proteção contra o novo coronavírus. “Faço minhas as palavras do almirante Barra Torres [diretor-presidente da Anvisa], ontem [domingo], quando ele disse que ‘não é porque a pessoa tomou a vacina hoje, que amanhã pode estar na rua sem as medidas de proteção'”, salientou Mourão.

Mourão colocou a retomada econômica como medida mais urgente depois da imunização da população brasileira. “O próprio ministro Pazuello falou isso na semana passada, leva um tempo para a vacina fazer seus efeitos. Agora, é seguir aí nas regras estabelecidas, os diferentes grupos, ninguém furar fila, não haver uma falta de solidariedade e consequentemente nós resolveremos esse problema. O principal que vem depois é resolver a questão econômica do país, de modo que a gente consiga retornar uma situação melhor de emprego para o nosso povo e o país entre num ciclo de crescimento”, avaliou.

Início da vacinação

Oministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que vai antecipar o início da campanha de vacinação contra o coronavírus para esta segunda-feira, às 17h. A princípio, Pazuello havia divulgado que a imunização seria iniciada na próxima quarta-feira (20/1), em todo o país. Segundo o ministro, esse tempo entre a distribuição e a aplicação seria necessário para que os estados se organizassem e começassem a imunização de forma simultânea.

Sobre a distribuição imediata do imunizante, Mourão ainda afirmou que, quanto antes, melhor. “Quanto antes começar melhor, as vacinas estão sendo distribuídas hoje. A ideia é que a partir de quarta-feira os diferentes estados comecem a vacinar, é óbvio que esse primeiro lote vai permitir entre 15% e 20% daquele grupo um, mas a partir daí começam a chegar os próximos lotes e julgo que pelos cálculos que estão sendo feitos que, a partir de abril, a gente entra num modo contínuo de vacinação”, declarou.

0

 

Últimas notícias