metropoles.com

Mesmo nos EUA, ex-ministro Weintraub ainda tem apartamento funcional no DF

Mesmo depois de 26 dias da demissão, a revogação do imóvel ainda não aconteceu oficialmente. Ex-titular do MEC tem 30 dias

atualizado

Compartilhar notícia

Igo Estrela/Metrópoles
apartamento_weintraub
1 de 1 apartamento_weintraub - Foto: Igo Estrela/Metrópoles

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub saiu correndo do Brasil depois que pediu demissão do cargo, em 18 de junhoNo entanto, 26 dias após o anúncio, o nome de Weintraub ainda consta na lista de usuários de apartamentos funcionais pertencentes à Presidência da República, atualizada no último dia 1º de julho no Portal da Transparência. 

Localizado no Bloco A da 304 norte, o imóvel foi ocupado por ele em 22 de julho de 2019, como consta em publicação do Diário Oficial da União. Agora, atualmente morando fora do país, a revogação ainda não aconteceu oficialmente.

0

Em nota, a Secretaria Geral do Governo afirmou que o ex-ministro tem prazo de 30 dias corridos, contados da data em que cessou o direito de uso, para entregar o apartamento. “Nesse contexto, como a exoneração do ex-ministro ocorreu em 20 de junho de 2020, somente a partir de 20 de julho de 2020 poderá ser publicada a revogação da outorga”, afirmou. A data, no entanto, já foi retificada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Na publicação, o governo corrigiu o dia oficial da saída do ministro: de 20 para 19 de junho.

A Secretaria de Planejamento alegou que o processo de devolução já foi iniciado. A reportagem não conseguiu contato com o ex-ministro.

Novo ministro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou na sexta-feira (10/7) Milton Ribeiro como novo ministro da Educação. A pasta estava sem titular desde que Abraham Weintraub deixou a chefia e se mudou para os Estados Unidos, enquanto aguarda ter o nome aprovado para ocupar um cargo no Banco Mundial.

Weintraub voou para Miami em 19 de junho, usou passaporte diplomático e visto especial. Duas horas após ele desembarcar nos Estados Unidos, o Diário Oficial da União (DOU) publicou a exoneração dele do cargo. Segundo a assessoria do Ministério da Educação, o ex-chefe da pasta viajou em um voo comercial da Azul. O ex-ministro custeou a passagem com dinheiro próprio e foi de classe econômica. Weintraub desembarcou no aeroporto de Fort Lauderdale (Flórida).

Desde a saída de Weintraub, Bolsonaro tentou nomear dois ministros, mas ambos não resistiram à pressão e acabaram não assumindo o MEC. O primeiro foi Carlos Alberto Decotelli, nome que surpreendeu por estar fora do radar dos cotados. O outro, Renato Feder, secretário de Educação do Paraná, chegou a encabeçar a lista de favoritos logo que o cargo de ministro ficou vago.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações