Vídeos: prédio em SP tem fachada “dominada” por centenas de maritacas

Moradores convivem há duas décadas com a "algazarra" das maritacas, que ficam atreladas à fachada do prédio em um curioso fenômeno

atualizado 08/01/2021 10:05

Maritacas em prédio de São PauloReprodução

Quem nunca ficou incomodado com aquele vizinho festeiro, que às vezes abusa do som alto a qualquer hora do dia? Em um edifício no Tatuapé, bairro da Zona Leste de São Paulo, os moradores convivem com um grupinho barulhento há mais de duas décadas. No entanto, a “algazarra” deles por lá já virou rotina e até uma diversão para quem mora no lugar: são centenas de maritacas que, todos os dias, enfeitam a fachada do prédio.

A imagem é impressionante. O barulho, ensurdecedor. Segundo moradores relataram diversas vezes para a imprensa local, o grupo de aves sempre aparece no começo da manhã e no fim da tarde no já batizado “prédio das maritacas”. A “festinha” dura cerca de uma hora.

0

De longe, as pessoas avistam pequenos pontinhos verdes na larga parede de tijolinhos marrons. O lugar virou até ponto de contemplação, já que muitas pessoas vão até lá para assistir ao fenômeno da natureza que ocorre no meio de um bairro super movimentado. Vários vídeos e fotos publicados nas redes sociais mostram os espécimes em uma rotina curiosa (veja os vídeos abaixo).

E por que elas vão para lá?

A suposição dada por vários especialistas que souberam do caso é de que os espécimes de periquitão-maracanã (Psittacara leucophthalmus) buscam barro na fachada do prédio, que faz parte da dieta natural da espécie, num processo chamado geofagia.

Estudos apontam que o consumo de terra ocorre com o objetivo de reduzir o impacto de outros alimentos que a espécie tenha ingerido, auxiliando na redução da toxidez de alguns dos compostos das plantas que a ave ingere, além de fornecer nutrientes como sais minerais.

Os biólogos também apontam ser possível que as maritacas tenham “adotado” o prédio como um ponto de descanso, por conta da ausência de áreas florestais para um grupo grande como o delas. A fachada de tijolos pode ser usada também pelos espécimes para esfregar e afiar o bico, comportamento comum nas espécies de bico torto.

https://twitter.com/BiodiversidadeB/status/1347364306556477442

https://twitter.com/neurosocialself/status/1280795418780041217

Últimas notícias