Ibama cobra explicações da Shell sobre barris no Nordeste

Análise do órgão parte de um pedido do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Manchas se espalham pelo mar na região

Reprodução/WhatsAppReprodução/WhatsApp

atualizado 12/10/2019 22:51

O Ibama vai cobrar explicações da Shell sobre o aparecimento de barris no litoral do Nordeste atrelados à empresa. Paralelamente, o órgão pedirá cópia do laudo técnico da Universidade Federal de Sergipe (UFS) sobre o material que foi encontrado nos barris que chegaram ao litoral do Estado. A apuração está relacionada as manchas que se espalham pelo mar na região Nordeste. A informação foi confirmada à reportagem pelo presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim.

Segundo ele, a análise do Ibama parte de um pedido do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. “Vamos cobrar explicações da Shell e cópia do laudo da Universidade, no mínimo”, disse Bim ao jornal O Estado de S. Paulo.

Procurada, a Marinha informou que as manchas de óleo que chegaram às praias do Nordeste não são compatíveis com o material encontrado em amostra de material encontrado em barril da Shell.

Nesta semana, investigações da Marinha e da Petrobras encontraram petróleo com a mesma “assinatura” do óleo da Venezuela nas manchas do litoral. Essa informação já havia sido comunicada ao Ibama. O poluente já foi identificado em mais de 138 pontos no litoral dos nove Estados da região.

Também nesta semana, a Petrobras afirmou que a análise realizada pela empresa em amostras de petróleo cru encontrado em praias do Nordeste “atestou, por meio da observação de moléculas específicas, que a família de compostos orgânicos do material encontrado não é compatível com a dos óleos produzidos e comercializados pela companhia”.

Por meio de nota, a Shell afastou relação entre os barris e as manchas de óleo. “A Shell Brasil esclarece que o conteúdo original dos tambores localizados na Praia da Formosa, no Sergipe, não tem relação com o óleo cru encontrado em diferentes praias da costa brasileira”, diz o texto. “São tambores de óleo lubrificante para embarcações, produzido fora do país. O Ibama está ciente do caso.”

Últimas notícias