Mario Frias sobre fogo na Cinemateca: “Quero entender o que aconteceu”

Três horas depois de início de incêndio, secretário nacional de Cultura, Mario Frias, sinalizou seu compromisso com acervo da Cinemateca

atualizado 29/07/2021 21:33

mario_friasRoberto Castro/ Mtur

Três horas após o início do incêndio na Cinemateca de São Paulo, o secretário nacional de Cultura, Mario Frias, se manifestou sobre o episódio na noite desta quinta-feira (29/7) . Disse que vai acionar a Polícia Federal, sinalizou seu compromisso com o acervo ali guardado e acrescentou que deseja “entender o que aconteceu”.

O secretário municipal de Cultura de São Paulo, Alê Youssef, disse que o incêndio que atinge a Cinemateca é uma “tragédia anunciada”.

“Se for confirmado que o incêndio é fruto da falta de manutenção que nós e todo o setor audiovisual já tínhamos anunciado, vamos perceber que essa é mais uma ação de ataque à cultura e ao patrimônio cultural brasileiro por parte do Governo Federal, que tem uma linha ideológica completamente distanciada da cultura brasileira”, disse em nota enviada ao Metrópoles.

“É a crônica de uma tragédia anunciada”, acrescentou.

Já o secretário estadual da Cultura do estado, Sérgio Sá Leitão, disse à coluna da Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, que “trata-se de uma importante instituição cultural que pertence ao Governo Federal e vem sendo negligenciada pelo governo Bolsonaro desde 2019. Lamentável”.

Início do incêndio

incêndio em um galpão de 1.000 metros na Cinemateca Brasileira, em São Paulo teve início por volta das 18h durante a manutenção do sistema de ar-condicionado, segundo a capitã do Corpo de Bombeiros Karina Paula Moreira, que comanda a operação de combate ao fogo.

De acordo com ela, o incêndio começou em uma das salas do acervo histórico do terceiro andar, enquanto uma equipe terceirizada do governo federal fazia a manutenção do ar-condicionado.

“Essa parte do andar é dividida em três salas, sendo duas de filmes de 1920 e 1940, e uma parte de arquivos impressos e documentos históricos. Essas três salas foram atingidas pelo fogo. Nós estamos levantando o que foi queimado e o que foi preservado. Provavelmente, não foi preservado nada nessas salas, porém, no térreo tem uma parte grande do acervo histórico que não foi atingida”, explicou a representante dos bombeiros.

Últimas notícias