*
 

A Marinha localizou neste domingo (10/6) o corpo da oitava vítima do naufrágio de duas embarcações ocorrido na madrugada de sexta-feira (8) na baía de Sepetiba, em Itaguaí (região metropolitana do Rio de Janeiro). A identidade dessa vítima não havia sido divulgada até o início desta tarde. Quatro pessoas continuam desaparecidas. Nove pessoas sobreviveram.

A causa dos naufrágios ainda é investigada, mas o motivo mais provável é o mau tempo que se abateu sobre a região por onde as embarcações navegavam. A Lucas Mar foi localizada no sábado (9), enquanto a Milemar havia sido encontrada na sexta.

A Marinha e Corpo de Bombeiros fazem ação conjunta pelo mar e pelo ar, com o uso de aeronaves e barcos para vasculhar a área, informou a assessoria. A causa do naufrágio ainda é desconhecida. A suspeita é de que as embarcações foram atingidas por um forte vento, pois chovia e ventava na hora do acidente, mas a Marinha ainda investiga o caso.

Um dos barcos foi achado. Um dos sobreviventes, o agente de saúde Fabrício Remann, contou que os fortes ventos atingiram o barco, que virou repentinamente. Ele e outros dois sobreviventes ficaram à deriva, em cima de um colchão, até serem resgatados por pescadores.

Segundo o capitão de mar e guerra da Marinha, Sérgio Salgueirinho, o órgão enviou comunicado para a comunidade marítima na manhã do dia do acidente, incluindo associações de pescadores, alertando para o mau tempo. Mas o cumprimento da ordem para não embarcar nessas situações não é obrigatório e não havia fiscalização no porto naquele momento.

“Já abrimos inquérito para apurar as causas, porém nossa preocupação maior agora é em busca de vidas. Quanto mais rápido agirmos, maiores são as chances de encontrar”, disse. Os sobreviventes foram socorridos, a maioria com hipotermia.