Marido de deputada federal é morto em assalto no Rio de Janeiro

A pastora e cantora gospel Flordelis (PSD-RJ) e o pastor Anderson do Carmo estavam lanchando em Niterói quando foram abordados

Reprodução/instagramReprodução/instagram

atualizado 16/06/2019 13:03

O pastor Anderson do Carmo, marido da cantora e deputada federal Flordelis (PSD-RJ), foi morto na madrugada deste domingo (16/06/2019), em Niterói, em uma tentativa de assalto. Ainda não há detalhes de como ocorreu o homicídio. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói (DHNSG), que periciou o local do crime.

Flordelis e Anderson são pais de 55 filhos, sendo quatro biológicos. Eles moravam comunidade do Jacarezinho quando adotaram, de uma vez, 37 crianças, que sobreviveram a uma chacina que ocorreu na estação Central do Brasil. De acordo com a deputada, essa é a sua maior bandeira.

Pastora evangélica e cantora gospel, Florelis recebeu 196.959 votos no primeiro mandato, sendo a quinta mais votada no Rio de Janeiro, com 2,55% dos votos válidos no estado. Aos 57 anos, ela já havia sido candidata em 2004 a vereadora em São Gonçalo (RJ), pelo então PMDB.

Em 2009, a história da deputada eleita foi apresentada no filme Flordelis – Basta Uma Palavra para Mudar, dirigido por Marco Antônio Ferraz e Anderson Corrêa.

A deputada, mesmo em primeiro mandato, concorreu, neste ano, à presidência da bancada evangélica da Câmara, em eleição vencida por Silas Câmara. O presidente anterior, pastor Marco Feliciano (Podemos-SP), não concorreu. Em conversa com a reportagem, ele disse estar chocado com o assassinato.

“Estou em estado de choque. O pastor Anderson e a deputada Flor representam o que há de mais humano na sociedade, pais adotivos de dezenas de filhos. A violência no RJ assusta”, disse.

Perda grande
O líder do partido na Câmara, André de Paula (PSD-PE), disse que Anderson era muito querido na liderança da sigla e que estava sempre ao lado de Flordelis em todos os compromissos. “Ele participava de tudo com a Flor, é uma perda muito grande”, lamentou o deputado.

Segundo Paula, Anderson ajudava na coordenação das atividades de Flor, como é conhecida entre os correligionários. “Estamos todos muito abalados. Ele era uma pessoa muito prestativa, do bem”, disse.  O líder comentou ainda a estrutura familiar da deputada.  “A construção da família deles é bonita demais. Toda a liderança percebia que a vida de Flor era construída ao lado de Anderson”, lembrou.

Homenagem
No perfil oficial do Facebook, a assessoria da deputada fez uma homenagem a Anderson e escreveu que Floredelis ainda estava muito abalada para se pronunciar sobre a morte do marido.

Além da esposa de Anderson, lamentou também pela morte dele a ministra de Direitos Humanos, Damares Alves. “Como Pastora e amiga, oro ao Senhor para que o doce Espirito Santo possa abraça-la e a ajude a passar por este momento de tanta dor”, escreveu.

Últimas notícias