Marceneiro e vigilante estão entre mortos na terça de tiroteios no Rio

Na manhã da terça-feira (27/4), cidade do Rio contabilizou nove mortos, vítimas dos tiroteios em comunidades cariocas

atualizado 28/04/2021 8:53

Rio de Janeiro – Entre os nove mortos dos tiroteios que aconteceram na cidade do Rio de Janeiro, na manhã da terça-feira (27/4), estão o marceneiro Gemerson Patrício de Souza e o vigilante Denis Francisco Paes. Segundo o jornal Extra, o primeiro deixa dois filhos; o segundo, cinco.

Gemerson morreu pouco após dar entrada no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, zona norte do Rio. Segundo colegas, ele havia saído de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde morava, e chegava a uma loja do Grupo Farme, onde trabalhava.

Nesse momento, Gemerson foi atingido na passarela que corta a Avenida Pastor Martin Luther King Jr., na altura da estação do metrô de Tomás Coelho, perto do Morro do Juramento.

“Ele era trabalhador, um excelente marceneiro e estava há 12 anos na empresa”, disse um amigo ao jornal Extra.

Já Denis, morador do Morro dos Prazeres, segurança de rua, trabalhava mais de 10 horas por dia. Ontem, quando encerrou o expediente, pouco depois das 20h30, o vigilante foi baleado perto de sua casa.

A mulher de Denis, Carla Rodrigues da Silva, contou que ele foi levado com vida para o hospital.

“Eu o vi entrando na ambulância, andando. Ele foi para o hospital bem. Ainda chamou pelo meu nome. Mas hoje (terça-feira, 27/4) de manhã, disseram que Denis estava morto”, contou Carla.

Últimas notícias