Manifestações pró e contra Bolsonaro tomam conta da Esplanada

Protestos marcam o Dia do Trabalhador em Brasília. Com a presença do Exército, passeatas ocorrem sem violência

atualizado 01/05/2021 13:49

Gustavo Moreno/Especial Metrópoles

Na manhã deste sábado, 1º de maio, Dia do Trabalhador, manifestantes tomaram conta da Esplanada dos Ministérios com protestos a favor de Bolsonaro e contra o governo. Os grupos distintos ocupam pistas opostas, enquanto gritam palavras de ordem e balançam bandeiras com diversas causas.

Nesta semana, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro começaram a se organizar nas redes sociais para os eventos deste Dia do Trabalhador. As manifestações estão espalhadas pelo país e têm o objetivo de criticar as medidas de isolamento social e defender a volta das atividades normais, com o argumento de que o brasileiro precisa recuperar a sua liberdade para trabalhar.

Os protestos ocorrem no momento em que o Brasil ultrapassou a marca de 400 mil mortos pela Covid-19. Por todo o país, grupos e militantes de direita promovem manifestações de apoio a Bolsonaro, pela adoção do voto impresso e exigindo que sejam pautados pedidos de impeachment de ministros do STF.

Tradicionalmente, as manifestações do Dia do Trabalhador são lideradas pelas centrais sindicais. No entanto, em função da pandemia e das orientações sanitárias para que a população evite aglomerações, sindicatos organizaram a live 1º de Maio pela Vida para marcar a data, a partir das 14h deste sábado. A programação virtual ocorrerá durante todo o dia. Confira aqui a live.

Veja fotos das manifestações:

0
Fim da manhã

Já entre o fim da manhã e o início da tarde, milhares de manifestantes favoráveis ao presidente continuavam na Esplanada dos Ministérios, em volta de trios elétricos que pediam, entre outras coisas, o voto impresso auditável e a saída dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O principal lema é “Eu autorizo, presidente”, em referência à sinalização que Bolsonaro diz aguardar do povo brasileiro para tomar providências contra o que os manifestantes chamam de “militância judiciária”. O uso das Forças Armadas é incentivado para acabar com medidas de combate à Covid-19 e garantir a destituição dos membros do STF.

A manifestação tomou conta de toda a via do Eixo Monumental na direção Rodoviária-Congresso. Foram milhares de carros buzinando e pessoas no gramado aguardando que o presidente apareça para conversar com os apoiadores.

Mais cedo, Bolsonaro sobrevoou de helicóptero o gramado da Esplanada. Pela janela, ele acenou, mas logo foi embora.

Os oposicionistas saíram do local após o aumento do número de apoiadores de Bolsonaro.

Últimas notícias