Mandetta: Saúde assassina credibilidade com “medida burra e tacanha”

Ex-ministro da Saúde disse que, ao tentar privar imprensa de informações, governo mira no alvo errado: "A imprensa é parte da solução"

atualizado 08/06/2020 19:03

Ministro da Saúde durante coletiva sobre o coronavírusIgo Estrela/ Metrópoles

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez duras críticas às tentativas do governo de maquiar os dados do crescimento do coronavírus no Brasil. “A única coisa que o Ministério da Saúde não poderia perder nessa epidemia era a credibilidade”, disse, por videochamada nesta segunda-feira (08/06). “E é isso que o Ministério da Saúde acabou assassinando com essa medida burra, tacanha de não deixar que os números cheguem à imprensa”, afirmou, em entrevista ao canal GloboNews, o ex-gestor que entrou no time de críticos ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Para Mandetta, “o que vai ocorrer é que vão começar apurações paralelas. Isso vai dar margem para fake news, porque tem gente que vai colocar que está diminuindo, outro vai colocar que tá aumentando. Vão jogar umas pessoas contra as outras”.

Desde a última semana, o Ministério da Saúde tem retardado a divulgação dos dados de aumento de casos e de óbitos e chegou a tirar do ar o site oficial de informações sobre o avanço da Covid-19 no país.

Em conversa com jornalistas na portaria do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro chegou a admitir que a política de divulgar os dados só depois das 22h tirava a notícia do Jornal Nacional, da Globo.

0

Mandetta analisou esse comportamento dizendo que “é como se eles tivessem raiva do carteiro. O carteiro tá trazendo uma má notícia, então dá um tiro no carteiro”, comparou. “Tem que saber que a imprensa é útil para o enfrentamento, ela é parte da solução, não parte do problema.”

Últimas notícias