Bolsonaro sobre demissão de Mandetta: “Foi divórcio consensual”

O presidente disse que o então ministro não tratou a crise relacionada à pandemia do coronavírus da forma como ele gostaria

atualizado 16/04/2020 19:17

Bolsonaro em discurso pós-demissão de MandettaReprodução/ TV

Após anunciar a exoneração do agora ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (16/04), que a medida foi um “divórcio consensual”. O titular da pasta deixa o cargo depois de uma série de desavenças com o mandatário do país.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, Bolsonaro indicou um nome para ocupar o lugar de Mandetta: o oncologista Nelson Teich. O presidente disse que o atual ministro não tratou a crise relacionada à pandemia do coronavírus da forma como ele gostaria.

Segundo Bolsonaro, na conversa em que comunicou ao ministro sua demissão, Mandetta se colocou à disposição para auxiliar na transição.

Assista a íntegra do discurso de Bolsonaro, após demitir Mandetta:

Em mensagem no Twitter, na qual anunciou a demissão, Mandetta agradeceu a oportunidade de gerenciar o Sistema Único de Saúde (SUS) e planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus.

0

Desde o início da crise do coronavírus, Mandetta e Bolsonaro vinham se desentendendo sobre a melhor estratégia de combate à doença.

Últimas notícias