Mãe do médico Denis Furtado, conhecido como “Dr. Bumbum”, Maria de Fátima Furtado, 66 anos, roubou a cena durante audiência de instrução e julgamento sobre a morte da bancária Lilian Calixto, 46 anos, no 1º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. Ré no processo, Maria usava um aparelho de medir pressão e pediu para que os depoimentos das testemunhas fossem interrompidos para ser atendida por um médico do TJRJ.

A audiência foi realizada na terça-feira (16/04/19). Como o quadro de saúde da ré não era grave, a juíza Viviane Ramos de Faria não chegou a interromper os depoimentos. Ouviu três pessoas escolhidas pela acusação e outra apresentada pela defesa, segundo informações de O Dia.

Namorada de “Dr. Bumbum”, Renata Cirne, que também é ré no processo, pediu para ser dispensada da audiência, o que foi autorizado pela juíza. Ainda na terça, uma testemunha ouvida afirmou que Denis Furtado ficou poucos minutos com a bancária no hospital para onde ela foi levada.

O homem é enfermeiro do Copa D’Or. Lilian foi encaminhada ao hospital com náuseas, pressão arterial muito baixa e dificuldade de respirar. Um policial civil que viu o médico fugindo também prestou depoimento. Denis Furtado chegou ao Tribunal de Justiça do Rio por volta das 13h30 e não falou com os jornalistas.

Lilian morreu na madrugada de 15 de julho de 2018, após sofrer uma embolia pulmonar. A complicação no estado de saúde se deu um dia após Denis ter injetado em seus glúteos a substância PMMA, derivada do acrílico. O procedimento foi feito na cobertura onde “Dr. Bumbum” morava, na Barra da Tijuca.