Lula Livre x Lava Jato: tensão marcou lado de fora do Supremo

A Polícia revidou os confrontos com bombas de gás lacrimogêneo e dispersou os manifestantes

atualizado 25/09/2019 19:35

André Borges/ Esp. Metrópoles

A manifestação na frente do Supremo Tribunal Federal (STF), ocorrida na tarde desta quarta-feira (25/09/2019), começou de forma pacífica por volta das 14h, mas acabou se tornando um ambiente inóspito para os dois lados que protestavam antes do fim da tarde.

Por volta das 16h, manifestantes pró-bolsonaro arremessaram pedras, tomates e ratos de plástico em direção ao Judiciário e tentaram ultrapassar as grades que separavam o órgão do público. A polícia revidou com bombas de gás lacrimogêneo e dispersou os manifestantes.

Após o confronto, o clima de tensão se instalou na Praça dos Três Poderes. Os manifestantes que apoiavam o movimento “Lula Livre” foram separados por uma barreira de policiais dos defensores da Lava Jato. Sempre que questionados sobre os motivos de estarem por lá, os manifestantes invocavam palavras de ordem e destacavam as suas posições – contra ou a favor do ex-presidente.

“Não podemos permitir que esses canalhas sabotem o nosso presidente, eleito de forma democrática pelo povo brasileiro”, disse Valdivia Gomes, 54 anos, apoiadora da Lava Jato e contrária ao PT. De acordo com a digitadora de notas fiscais, Lula está preso porque roubou o país. Ela considera inadmissível a Justiça considerar anular o que foi feito pela força-tarefa. “O PT deixou de ser o Partido dos Trabalhadores para ser o partido dos bandidos”, disparou.

A coordenadora do núcleo Marisa Letícia no Congresso Nacional, Claudia Regina Vieira Lima, 53, acredita que Lula é um preso político e que está injustamente nas mãos da justiça. “Ele está preso há mais de um ano, e estamos aqui todas as quartas-feiras a partir das 18h para reafirmar nossa confiança nele”.

“Estou aqui pelo tempo que for preciso. Estou aqui pelos meus quatro filhos, por um país melhor, pelo Fies, pelo SUS, pelo Mais Médicos, por um Brasil unido”, seguiu Claudia.

A manifestação, ao menos do lado dos petistas, tem previsão de acabar por volta de 20h, quando os apoiadores prometeram entoar o icônico “boa-noite” destinado ao ex-presidente. Os apoiadores da Lava Jato deixaram o local antes

Últimas notícias