Lula e Janja assinam Carta em Defesa da Democracia

Manifesto organizado pela Faculdade de Direito da USP já tem quase 800 mil signatários, incluindo juristas, banqueiros e empresários

atualizado 08/08/2022 11:13

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato ao Palácio do Planalto nas eleições de 2022, é um dos mais novos signatários da Carta em Defesa do Estado Democrático de Direito. O manifesto é organizado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP).

O objetivo do projeto é coletar assinaturas ao documento, que será lido no Pátio das Arcadas, na Faculdade de Direito da USP, em 11 de agosto. A carta defende a democracia e pede respeito ao resultado das eleições.

Além de Lula, o manifesto também recebeu a assinatura da socióloga e esposa do ex-presidente, Rosângela da Silva, conhecida como Janja.

Desde a publicação, o documento recebeu o apoio de políticos de esquerda e de direita, de economistas ortodoxos e heterodoxos; de advogados lavajatistas e garantistas e até mesmo de personagens que já estiveram ligados ao governo de Jair Bolsonaro (PL).

0

Lançada em 26 de julho, a Carta pela Democracia tem, até o momento, 795 mil assinaturas. Os organizadores do manifesto consideram o momento atual, marcado por ataques à democracia, ao Supremo Tribunal Federal e ao processo eleitoral, um período perigoso.

“Ao invés de uma festa cívica, estamos passando por momento de imenso perigo para a normalidade democrática, risco às instituições da República e insinuações de desacato ao resultado das eleições”, diz a carta.

Mais lidas
Últimas notícias