PGR pede inquérito contra manifestante bolsonarista que agrediu enfermeiros

A Procuradoria diz que os fatos são "de inegável gravidade" e podem ser enquadrados em crimes da Lei de Segurança Nacional

atualizado 05/05/2020 13:42

Enfermeiros e apoiadores do presidente se desentendemReprodução/Vídeo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao Ministério Público Federal (MPF) do Distrito Federal um pedido de investigação contra um manifestante que atacou enfermeiros durante ato pró-Bolsonaro, realizado na última sexta-feira (01/05), em Brasília.

“Solicito a Vossa Excelência a distribuição da presente notícia crime para adoção das medidas que o procurador da República natural compreender necessárias”, escreveu o procurador.

A PGR fez uma consulta nos bancos de dados e constatou que as imagens de um manifestante agredindo as enfermeiras correspondem à de uma pessoa de nome Renan da Silva Sena, residente no Distrito Federal. Também identificou que ele participou de protesto contra o Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo o fechamento da Corte.

O ofício da PGR aponta que os fatos são “de inegável gravidade” e podem ser enquadrados em crimes da Lei de Segurança Nacional e contra a administração pública.

O caso deve correr em primeira instância porque o homem não tem foro privilegiado.

0

Últimas notícias