Moraes diz que “bombardeio” de fake news gera ameaças contra STF

Julgamento de prisão em segunda instância fez os olhares se voltarem para a Suprema Corte. Medida poderia beneficiar ex-presidente Lula

Rafaela Felicciano/MetropolesRafaela Felicciano/Metropoles

atualizado 23/10/2019 17:29

Segundo a votar no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que trata da prisão em segunda instância, o ministro Alexandre de Moraes começou o discurso falando sobre as ameaças sofridas pela Corte.

Nesta semana, a Corte foi alvo de grupo de caminhoneiros e ministros receberam centenas de telefones e mensagens para manter as prisões em segundo grau. Com isso, a segurança desta quarta-feira (23/10/2019) foi reforçada no local.

“Infelizmente, desinformações, radicais políticos e exacerbadas paixões ideológicas acabaram gerando um absurdo grau de ofensas e ameaças a este Supremo tribunal, ministros e seus familiares”, disse.

O ministro atribuiu o movimento da população a fake news divulgadas contra o STF. “Chegamos a tal grau de intolerância que, aqueles que não concordam com opiniões, por mais fundamentadas, não só definem essas opiniões como erradas, mas também rotulam os ministros como irresponsáveis, quando não de corruptos”, declarou.

“Grande parcela da população passou a ser bombardeada com repetidos falsos mantras. Os mais famosos deles: ‘direitos humanos atrapalha no combate ao crime. Os juízes precisam decidir de acordo com a vontade da maioria’. Isso se mostra um desrespeito ao Estado de direito”, avaliou.

Segundo o magistrado, dados falsos ocasionaram ataques virtuais e pessoais, incentivando que os ministros sejam ofendidos e agredidos psíquico e fisicamente. “Não é essa a democracia que queremos”, disse.

Últimas notícias