Lula pede que STF rejeite pedido da PGR para anular decisão de Fachin

Defesa do petista também quer que o caso seja discutido pela 2ª Turma e não pelo plenário da Corte. Data do julgamento ainda não foi marcada

atualizado 22/03/2021 17:48

Lula Fui vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos - O ex-presidente, que ficou preso 580 dias por corrupção e lavagem de dinheiro, teve as condenações anuladasFabio Vieira/Metrópoles

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que rejeite o recurso apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a decisão do ministro Edson Fachin que anulou as condenações impostas ao petista no âmbito da Lava Jato.

Na peça, a defesa classificou como “irreparável” a decisão de Fachin, que afirmou que a 13ª Vara Federal de Curitiba não tinha competência para julgar quatro processos abertos contra o ex-presidente, determinando o envio dos casos para a Justiça Federal de Brasília.

Os advogados defenderam que o caso deveria ser analisado pela 2ª Turma e não pelo plenário.

Entenda

No dia 8 de março,  Fachin decidiu anular todos os processos envolvendo o petista no âmbito da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Na prática, essa medida tornou Lula elegível.

Na mesma semana, a PGR recorreu, alegando que a competência da 13ª Vara Federal da Seção Judiciária do Paraná deve ser mantida para processar quatro ações penais em curso contra o ex-presidente – os casos “Tríplex de Guarujá”, “Sítio de Atibaia”, “Sede do Instituto Lula” e “Doações ao Instituto Lula”.

No dia 12 de março, após a manifestação da PGR, o ministro Edson Fachin decidiu levar o caso ao plenário da Corte. A data do julgamento ainda não foi marcada.

Últimas notícias