Leia a delação de Palocci que detona Lula em Belo Monte

Ex-ministro revelou à Polícia Federal, em depoimentos prestados em abril e em agosto de 2018, propinas em dinheiro vivo para o ex-presidente

ReproduçãoReprodução

atualizado 18/01/2019 20:31

O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil dos governos do PT) afirmou em delação premiada na Polícia Federal que entregou propinas em espécie para o ex-presidente Lula. Ele relatou pelo menos dois episódios aos investigadores, um no Terminal da Aeronáutica, em Brasília, e outro no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em que teria entregue dinheiro vivo da empreiteira Odebrecht em uma caixa de celular e em uma caixa de uísque. São informações da coluna Fausto Macedo, do Estadão.

“[Palocci] Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da Odebrecht e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de R$ 30, R$ 40, R$ 50 e R$ 80 mil em espécie para o próprio Lula”, diz trecho do depoimento.

Palocci foi questionado sobre a existência de testemunhas das entregas de dinheiro ao ex-presidente e afirmou que entregou R$ 50 mil a Lula, dentro de uma caixa de celular, no Terminal da Aeronáutica em Brasília (DF), durante a campanha de 2010. O ato teria ocorrido diante de um ex-motorista de Palocci chamado Cláudio Gouveia.

Palocci depôs no dia 13 de abril do ano passado, uma semana depois que o ex-presidente foi preso para cumprir pena de 12 anos e um mês de reclusão no processo do triplex do Guarujá. Este relato do ex-ministro foi anexado nessa quinta-feira (17) ao inquérito da PF que investiga supostas fraudes na licitação e construção da usina de Belo Monte.

Segundo Palocci, os repasses a Lula teriam ocorrido em 2010. O ex-ministro relatou uma conversa que teria tido com Marcelo Odebrecht na qual o empresário acertou o repasse de R$ 15 milhões para o ex-presidente depois que a empreiteira entrou no negócio de Belo Monte.

O delator, que foi alvo da Operação Omertà, desdobramento da Lava Jato em 2016, livrou-se da prisão depois que fechou acordo de delação com a Polícia Federal. No depoimento de abril do ano passado, Palocci afirmou ter repassado “em oportunidades diversas” cerca de R$ 30 mil, R$ 40 mil, R$ 50 mil e R$ 80 mil em espécie para o próprio Lula.

Segundo Palocci, “os valores eram demandados pelo próprio Lula com a orientação para que não comentasse sobre os pedidos com Paulo Okamotto (presidente do Instituto Lula) e nem com ninguém”. Ele afirma que “sempre atendia aos pedidos de Lula”.

Defesas
O ex-presidente Lula sempre negou recebimento de valores ilícitos. A Odebrecht informa que colabora com a Justiça nos termos do acordo que firmou com a Lava Jato. A reportagem está tentando contato com a Andrade Gutierrez.

Veja o depoimento de Palocci na íntegra:

palocci Belo Monte by Metropoles on Scribd