Em delação, Palocci diz que Lula recebeu dinheiro vivo da Odebrecht

Trata-se da primeira colaboração fechada pelo ex-ministro de Lula e Dilma com a Polícia Federal, no âmbito da Lava Jato

SEBASTIÃO MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDOSEBASTIÃO MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 18/01/2019 17:33

O ex-ministro Antonio Palocci confirmou, em sua delação premiada fechada com a Polícia Federal (PF), no âmbito da Operação Lava Jato, pagamentos em dinheiro vivo entregues pela Odebrecht ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação é do portal G1 Paraná.

“[Palocci] Também se recorda que, dos recursos em espécie recebidos da Odebrecht e retirados por Branislav Kontic, levou em oportunidades diversas cerca de R$ 30, R$ 40, R$ 50 e R$ 80 mil em espécie para o próprio Lula”, diz trecho do depoimento.

Trata-se do primeiro acordo de delação premiada que o ex-ministro fecha com a PF de Curitiba (PR). Ele segue tentando se tornar delator junto à Procuradoria Geral da República (PGR). A colaboração com a PF foi homologada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e o depoimento do ex-ministro está anexado ao inquérito da Usina de Belo Monte – no qual Lula é investigado.

Palocci foi questionado sobre a existência de testemunhas das entregas de dinheiro ao ex-presidente e afirmou que entregou R$ 50 mil a Lula, dentro de uma caixa de celular, no Terminal da Aeronáutica em Brasília (DF), durante a campanha de 2010. O ato teria ocorrido diante de um ex-motorista de Palocci chamado Cláudio Gouveia.

Últimas notícias