Justiça suspende indiciamento de candidatas laranjas do PSL

O caso envolve o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. A PF diz que ele articulou desvio de recursos do partido em Minas Gerais

Valter Campanato/Agência BrasilValter Campanato/Agência Brasil

atualizado 12/11/2019 23:21

Acatando a solicitação da defesa, a Justiça Eleitoral em Minas Gerais decidiu pela anulação do indiciamento de quatro mulheres suspeitas de terem sido candidatas laranjas pelo PSL nas eleições de 2018.

O caso envolve o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. De acordo com as investigações da Polícia Federal (PF), ele teria articulado o desvio de recursos exclusivos para candidaturas femininas. 

Segundo o blog Fausto Macedo, do jornal Estado de S. Paulo, a denúncia continua valendo e aguarda análise da Justiça. Se recebida a acusação, as quatro se tornam rés no processo junto com o ministro do Turismo.

No pedido de habeas corpus, a defesa das suspeitas alegou que elas foram coagidas a admitirem crimes durante um depoimento à PF. Quando foram convocadas para um segundo depoimento, elas optaram por ficar em silêncio, o que teria motivado o indiciamento. 

Últimas notícias