Justiça aceita “autofalência” da Avianca Brasil, que deve R$ 2,7 bilhões

Inoperante desde maio de 2019, a companhia aérea não pagou trabalhadores e credores. Empresa chegou a ter 5,3 mil funcionários

atualizado 14/07/2020 21:03

Michael Melo/Metrópoles

O juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências de São Paulo, decretou a falência da Avianca Brasil, acatando o pedido da própria empresa, que pediu autofalência no último dia 6 de julho, após o fracasso do processo de recuperação judicial.

A Avianca Brasil entrou com o pedido de recuperação judicial em dezembro de 2018, com dívidas de quase R$ 500 milhões. Hoje, a dívida chega a R$ 2,7 bilhões.

No ato da decretação da falência no fim da tarde desta terça-feira, o magistrado pede que o administrador judicial se manifeste ainda sobre uma proposta do Pacific Bank, empresa que apresentou, ainda no processo de recuperação judicial, uma proposta para adquirir ativos da Avianca.

A aérea não pagou até o momento nem mesmo os créditos trabalhistas, que têm pagamento preferencial no plano de recuperação judicial. A Avianca Brasil chegou a ter mais de 5.300 funcionários, segundo o sindicato dos aeroviários (trabalhadores em solo) de São Paulo.

Últimas notícias