*
 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu nesta segunda-feira (28/5) liberdade a dois presos da Operação Pão Nosso, deflagrada em abril com o objetivo de combater desvios de recursos públicos na Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), durante a gestão do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (MDB). Ambos foram presos por determinação do juiz da 7ª Vara Federal Criminal do estado, Marcelo Bretas.

Com a decisão do ministro, serão soltos o doleiro Sérgio Roberto Pinto da Silva e o ex-diretor da Seap Cesar Rubens Monteiro de Carvalho. Em troca da concessão de liberdade, os acusados deverão cumprir medidas cautelares: estão proibidos de manter contato com outros investigados e deixar o país sem autorização. Também devem entregar os passaportes em 48 horas.

De acordo com as investigações, as irregularidades foram iniciadas no projeto Pão-Escola, cujo objetivo era a ressocialização dos presos, e envolveram empresas que teriam repassado propina ao ex-governador do Rio de Janeiro.

Em abril, com base nas acusações do Ministério Público Federal (MPF), Cabral se tornou réu pela 23ª vez pelos crimes de corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O ex-governador está preso desde novembro de 2016.

 

 

COMENTE

STFSérgio CabralSeappagamento de propinaOperação Pão Nosso
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça