Dono da Havan não poderá “coagir” funcionários a votar, diz Justiça

Apoiador de Bolsonaro, Luciano Hang pagará multa de R$ 500 mil caso insista em direcionar votos dos empregados ao presidenciável do PSL

REPRODUÇÃOREPRODUÇÃO

atualizado 03/10/2018 16:48

O juiz Carlos de Castro, do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT-12), acolheu pedido do Ministério Público do Trabalho de Santa Catarina (MPT-SC) contra o empresário Luciano Hang, dono da empresa Havan, nesta quarta-feira (3/10). O magistrado determinou que o empresário pare de pressionar os funcionários da rede de lojas e publique um novo vídeo dizendo que eles são livres para escolher seu candidato à Presidência da República.

A multa estipulada caso algum ponto da decisão judicial seja descumprido é de R$ 500 mil. Nesta terça (2), o MPT catarinense ajuizou uma ação cautelar com pedido de liminar contra a Havan Lojas de Departamentos Ltda. e seu dono, Luciano Hang. A empresa e proprietário foram acusados de impor, coagir e direcionar as escolhas políticas dos empregados.

De acordo com os funcionários da Havan, tanto o dono da empresa quanto outros chefes pressionavam a equipe a votar no presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, no próximo dia 7.

MPT emitiu alerta após vídeos de dono da Havan
Na segunda-feira (1º) o MPT emitiu uma nota pública para alertar as empresas e funcionários sobre a proibição de imposição, coação ou direcionamento nas escolhas políticas de empregados. A prática pode caracterizar discriminação em razão de orientação política, irregularidade trabalhista que pode ser alvo de investigação e ação civil pública. A nota foi divulgada depois que começaram a circular vídeos na internet com donos de empresas citando motivos pelos quais votariam em seus candidatos nas eleições de 2018.

Em um desses vídeos, Luciano Hang, dono das lojas Havan, ameaçou deixar o país e, consequentemente, demitir seus 15 mil funcionários, caso Bolsonaro não vença a eleição presidencial. Na gravação, o empresário diz ter feito uma pesquisa de intenção de voto com os colaboradores da empresa e descobriu que 30% deles pretendem votar nulo ou branco.

Nesse momento, Hang faz um alerta sobre o que esses votos dos funcionários poderiam acarretar: “Você está preparado para ganhar a conta da Havan? Você, que sonha em ser líder, gerente, crescer com a Havan, você já imaginou que tudo isso pode acabar no dia sete de outubro e a Havan fechar as portas e demitir os 15 mil colaboradores?”, declarou no vídeo.

Últimas notícias