Cabral fecha delação premiada e devolverá R$ 380 mi, diz jornal

O ex-governador do RJ agora precisa do aval do STF para que o acordo seja validado. Ainda não é possível saber os benefícios definidos

atualizado 16/12/2019 18:41

Ex-governador do RJ Sérgio Cabral sai algemado de camburão Cassiano Rosário/Futura Press

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral assinou um acordo de colaboração premiada com a Polícia Federal, que enviou o material para homologação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do jornal O Globo.

O acordo está mantido sob sigilo. Segundo a reportagem, na colaboração, Cabral se comprometeu a devolver R$ 380 milhões em propinas recebidas por ele nos últimos anos. A delação, porém, só terá validade caso seja homologada pela Suprema Corte.

O acordo não estabelece previamente benefícios penais, por isso ainda não é possível saber quando Cabral sairá da prisão, mesmo se a tratativa for homologada. A efetividade dos relatos do ex-governador sobre os fatos narrados será determinante para estabelecer o tempo que ele será solto.

O documento foi enviado ao ministro Fachin, que pediu uma manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras, sobre o material. Segundo O Globo, a manifestação da PGR chegou ao Supremo nesta segunda-feira (16/12/2019).

Mais lidas
Últimas notícias