Bolsonaro prestigia posse de concursados da PGR

Raquel Dodge enalteceu o fato de, pela primeira vez, presidentes da República, da Câmara e do Supremo prestigiarem posse de procuradores

Isac Nóbrega/PRIsac Nóbrega/PR

atualizado 11/01/2019 22:27

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou de solenidade de posse dos procuradores da República na sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília, na noite desta sexta-feira (11/1).

“É a primeira vez que o presidente do Brasil, o presidente do STF e o presidente da Câmara comparecem a uma cerimônia de posse de procuradores. É um sinal de reconhecimento da Casa”, enalteceu a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que participou da posse do presidente da República, em 1º de janeiro. “O Brasil tem sede de Justiça”, disse a procuradora-geral da República, afirmando que isso é provocado por injustiças como a corrupção e desigualdade social.

O presidente da República não discursou. Além de Bolsonaro e de Raquel Dodge, o evento contou com as presenças dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli; da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); e da Associação dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti; bem como da secretária do concurso dos procuradores, Eliana Peres Torelly de Carvalho (foto da composição da mesa abaixo).

Isac Nóbrega/PR

O advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça; o ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes; e o comandante da Marinha, Ilques Barbosa Junior também participaram.

A passagem do presidente da República pela solenidade foi breve. Ele deixou a PGR após os discursos iniciais. À sua passagem, na saída do evento, alguns convidados dos concursados gritaram “mito”.

Aprovados
Os 16 procuradores da República aprovados no último concurso serão alocados em 10 unidades do Ministério Público Federal. Cinco desses novos integrantes do MPF vão preencher vagas em municípios como Irecê (BA), Araguaína (TO), Pau dos Ferros (RN), São Raimundo Nonato (PI) e Corrente (PI), por exemplo.

Iniciado em 2016, o 29º concurso para procuradores da República foi suspenso por decisão da Justiça Federal. No ano seguinte, Dodge instituiu uma comissão que firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no âmbito do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, onde o processo tramitava.

Assim, o processo seletivo foi retomado com a inclusão da reserva de vagas para negros – conforme a Lei 12.990/2014 –, a nomeação e posse dos aprovados nas primeiras colocações. A nomeação dos novos servidores do MPF foi publicada no Diário Oficial em 26 de dezembro.

Bolsonaro criticou PGR por denúncia de racismo
Em abril de 2018, na condição de pré-candidato à Presidência da República, Bolsonaro criticou Raquel Dodge em entrevista à TV Bandeirantes. Na ocasião, ele rebateu a denúncia feita pela PGR por racismo contra o parlamentar.

Sobre a procuradora-geral, Bolsonaro disse que Dodge “acha muito e não encontra nada”. Na mesma entrevista, o militar da reserva discordou da procuradora ter entrado com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o voto impresso nas eleições.

Apesar das divergências, Bolsonaro “fez as pazes” com Dodge após ser eleito, durante visita de cortesia na sede da PGR, ocasião em que ele bateu continência para a procuradora-geral da República (foto abaixo).

IGO ESTRELA/METRÓPOLES

 

Dia puxado
Bolsonaro teve agenda extensa nesta sexta. Pela manhã, se reuniu com os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional. Às 11h, participou da cerimônia de passagem do comando do Exército Brasileiro: do general Eduardo Villas Boâs para o general Edson Leal Pujol.

Ele também se encontrou com Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação; com o secretário-geral Gustavo Bebianno, e, por fim, recebeu Onyx Lorenzoni juntamente ao ministro da Defesa, Fernando Azevedo, o ministro de Minas e Energia, Bento Costa Lima, e novamente Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional).

Últimas notícias