Apontado como favorito à PGR foi condenado pelo TCU em 2013

O subprocurador Antônio Carlos Simões Soares teria tentado se aposentar contabilizando 1 ano e 11 meses que trabalhou como estagiário

MPF/DivulgaçāoMPF/Divulgaçāo

atualizado 19/08/2019 16:28

Cotado como nome favorito para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR), o subprocurador Antônio Carlos Simões Soares foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em 2013. O tribunal considerou ilegal sua aposentadoria e determinou que ele voltasse a trabalhar. A informação é do jornal O Globo.

De acordo com a reportagem, em 2010 Soares tentou se aposentar sem comprovar contribuições previdenciárias durante nove anos nos quais teria atuado como advogado. Também tentou contabilizar 1 ano e 11 meses que trabalhou como estagiário.

Segundo o TCU, a não comprovação das contribuições poderia ser enquadrada como crime de sonegação fiscal.

Soares tem sido apontado nos círculos bolsonaristas como um dos candidatos favoritos a assumir a PGR no lugar de Raquel Dodge, já que o mandato da procuradora termina em setembro. Ele tem o apoio do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e do advogado do filho “zero um”, Frederick Wassef.

Últimas notícias