AGU recorre de decisão que obriga Bolsonaro a usar máscara em público

Segundo o órgão, o juiz tornou a fiscalização sobre o presidente mais rígida do que sobre os demais cidadãos

atualizado 26/06/2020 13:04

BolsonaroHUGO BARRETO/METRÓPOLES

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, nesta sexta-feira (26/06), da decisão da Justiça Federal do Distrito Federal que obriga o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a usar máscara quando sair em público em Brasília.

A AGU argumenta que a decisão, do juiz federal Renato Borelli, tornou a fiscalização sobre Bolsonaro mais rígida do que a sobre os demais cidadãos. Segundo o órgão, Bolsonaro deve ter tratamento igual ao das demais pessoas.

Ainda de acordo com o recurso, não cabe o uso de uma ação popular para impor uma obrigação ao presidente da República.

0

No Distrito Federal, o uso da máscara é obrigatório desde o dia 30 de abril. Mas, em várias ocasiões, o presidente Bolsonaro ignorou a determinação.

Na quinta-feira (25/06), inclusive, ele foi flagrado pelo fotógrafo Hugo Barreto, do Metrópoles, sem máscaras indo a um evento na capital.

Últimas notícias