Justiça determina prisão de hackers por tempo indeterminado

Os quatro suspeitos de invadir celulares de centenas de autoridades estão na Superintendência da Polícia Federal em Brasília

André Borges/MetrópolesAndré Borges/Metrópoles

atualizado 01/08/2019 21:46

A 10ª Vara Federal do DF, determinou, na noite desta quinta-feira (01/08/2019), a prisão preventiva dos quatro suspeitos de hackear telefones celulares de autoridades dos três Poderes da República. Walter Delgatti Neto, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila de Oliveira e Danilo Marques estão detidos desde o dia 23 de julho, no entanto a prisão era temporária, ou seja, eles só poderiam ficar na cadeia por cinco dias, prorrogáveis por mais cinco.

Agora, os quatros seguirão presos por tempo indeterminado. Atualmente, eles estão detidos na Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

Confira a íntegra da decisão do juiz Ricardo Leite:

DECISÃO – Prorrogação Prisão by Lourenço Flores on Scribd

O grupo é suspeito de hackear os celulares de cerca de 1 mil autoridades, incluindo: do ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública; do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato no Paraná; do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); e de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Todos foram presos na Operação Spoofing, deflagrada em São Paulo e Araraquara (SP).

Últimas notícias