Jovem morre em ação da polícia do Rio contra traficantes de Manaus

Operação desta sexta-feira (18/6) ocorreu no Rio, Amazonas e São Paulo. Thiago foi atingido dentro de casa no Complexo da Penha, zona norte

atualizado 18/06/2021 15:49

Thiago Santos Conceição, morto durante operação no Rio de JaneiroReprodução/Redes sociais

Rio de Janeiro – Thiago Santos Conceição, de 16 anos (foto em destaque), é um dos três mortos na ação das polícias no Rio para prender traficantes que promoveram onda de violência no Amazonas. De acordo com o informações da Plataforma Fogo Cruzado, ele foi atingido dentro de casa no Morro da Fé, no Complexo da Penha, zona norte.

Segundo o G1, Thiago estava dentro de casa quando foi baleado na cabeça, mas a polícia nega que ele tenha sido atingido durante a operação. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, também na Penha, mas não resistiu. A mãe de Thiago chegou receber atendimento médico por causa da notícia.

“Com relação específica ao adolescente baleado, a gente não tem todas as informações. Isso será objeto de uma investigação. No local onde ele foi baleado, não havia nenhum policial naquela localidade. Eles perceberam um tumulto à distância, e obtiveram a informação que o adolescente tinha sido baleado”, disse o subsecretário operacional do Rio, Rodrigo Oliveira, durante coletiva à imprensa.

A região era um dos alvos da operação que reuniu 600 agentes das polícias Civil e Militar no Rio. A ação, batizada de Coalizão pelo Bem também envolveu as polícias civis do Pará e do Amazonas. O objetivo era prender um dos chefes do tráfico do Comando Vermelho, mandante dos ataques em Manaus, no Amazonas, segundo a Polícia Civil do Rio.

Entre as motivações da ação está a informação de que Mano Kaio, que seria o mandante dos ataques, buscou esconderijo no Complexo da Penha. Além do Rio, a operação acontece em São Paulo e também no Amazonas. Ao todo, 3 homens foram mortos – 2 no Rio e 1 em Manaus – e 15 pessoas foram presas. Também foram apreendidos dinheiro, um fuzil, munição e uma granada.

Balanço

As investigações revelam que os acusados são suspeitos de enviar mais de R$ 129 milhões para investir, por exemplo, em armas e drogas para a quadrilha da região norte do país. A estrutura para lavar o dinheiro da quadrilha também favorecia ainda criminosos da facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC).

Veja o balanço:

  • Rio de Janeiro: 2 mortos e 8 presos, sendo 3 do AM, 4 do Pará e 1 do Rio;
  • Amazonas: 1 morto, 5 presos, 4 veículos apreendidos e R$ 13 mil apreendidos;
  • São Paulo: 2 presos, 1 veículo apreendido.

A onda de violência em Manaus e em outros municípios do Amazonas gerou caos entre os dias 6 e 8 de junho. Ônibus, delegacias, viaturas policiais, ambulâncias, prédios públicos e agências bancárias foram incendiadas e alvo de tiros.

A série de ataques aconteceu após a morte de um traficante em ação da polícia local. Outras nove cidades também foram alvo de ataques.

Últimas notícias