*
 

A Polícia Federal prendeu, nesta sexta-feira (9/11), o vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade, e os executivos da JBS Joesley Batista, Ricardo Saud e Demilton de Castro. Eles são alvo de uma operação que investiga suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura durante o governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

Além das prisões, a PF faz buscas no gabinete de Andrade, em Belo Horizonte, capital mineira. Até as 8h15, 10 pessoas haviam sido levadas à cadeia. Os agentes cumprem ainda 63 mandados de busca e apreensão em Minas, São Paulo, Mato Grosso do Sul, no Rio de Janeiro, Distrito Federal e na Paraíba.

Desdobramento da Lava Jato, a operação foi batizada de Capitu e é baseada na delação de Lúcio Funaro, apontado como operador financeiro do MDB.

Veja abaixo a relação de mandados de prisão no âmbito da operação:

Antonio Andrade, vice-governador de Minas e ex-ministro da Agricultura
Joesley Batista, dono da JBS
Ricardo Saud, executivo da JBS
Demilton de Castro, executivo da JBS
João Magalhães, deputado estadual pelo MDB de MG
Neri Geller, deputado estadual eleito pelo PP de MT
Rodrigo Figueiredo, ex-secretário de Defesa Agropecuária
Mateus de Moura Lima Gomes, advogado
Mauro Luiz de Moura Araújo, advogado
Ildeu da Cunha Pereira, advogado

Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, que pertence aos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

Demilton Antonio de Castro, um dos presos, é responsável por organizar um arquivo com 9 mil dados de operações financeiras ilegais feitas pela JBS, o chamado “planilhão da propina”. Os executivos da JBS foram presos em São Paulo. (Com informações da TV Globo)