João de Deus tem pico de pressão e cancela atendimentos em Abadiânia

A informação foi repassada pela assessora do médium. Não se sabe se ele vai voltar para o município nesta quarta (12/12)

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 12/12/2018 13:11

Abadiânia (GO) — O médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, fez sua primeira aparição pública após as denúncias de abuso sexual contra ele virem à tona. O líder espiritual ficou pouco tempo na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), no ínicio da manhã desta quarta-feira (12/12).

Segundo sua assessoria, ele teve um pico de pressão quando chegou ao local. Por isso, teria ido embora rapidamente. Ainda não há informação se o médium buscou atendimento médico, se continua em Abadiânia ou se vai voltar até o centro religioso na tarde desta quarta (12).

Os atendimentos espirituais são feitos às quartas, quintas e sextas, habitualmente. “Ele saiu daqui com a pressão bastante alta, mas está bem, sereno e aberto à Justiça”, disse a assessora de imprensa de João de Deus, Edna Gomes.

Ela disse que os relatos contra o médium precisam ser investigados. “As denúncias são seríssimas, devem ser apuradas, e não em programas de entretenimento”, declarou.

João de Deus é acusado de abusar de mulheres durante tratamentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, onde atende pacientes há 44 anos. Nesta quarta (12), o líder espiritual chegou de carro por volta das 9h30. Cercado de seguranças, desceu, entrou na sala de orações e, na saída, disse: “Sou inocente”.

Segundo voluntários que estavam dentro da sala de orações, o médium refutou as denúncias de abuso e afirmou que a Justiça irá decidir sobre todas as acusações. Ainda de acordo com eles, João de Deus explicou que não se sentia confortável para fazer cirurgias espirituais e outros atendimentos, agradeceu a oportunidade de estar no local e saiu amparado. Muitos seguidores começaram a chorar.

Últimas notícias