Mais uma vítima de João de Deus resolveu se pronunciar. Em entrevista ao Metrópoles, uma ex-guia que atuava em Abadiânia (GO) revelou pelo menos quatro abusos, entre 2016 e 2017, cometidos pelo médium.

“Ele rezava o Pai Nosso enquanto estava com a mente cheia de más intenções. Sim, ele é um doente!”, contou a moradora de São Paulo, de 28 anos. A moça trabalhou como guia da Casa Dom Inácio de Loyola por dois anos e preferiu não ter o nome divulgado.

Segundo a jovem, o primeiro assédio aconteceu na sala onde João recebia pessoas indicadas pela entidade que incorporava. João teria colocado a acompanhante da ex-guia de costas e manteve as mãos nos ombros da moça. Depois, se sentou em uma poltrona e pediu para ela se ajoelhar na frente dele. “Quem estiver lendo ou assistiu à reportagem da TV Globo, já consegue imaginar que ele colocou o pênis para fora e pediu que eu o masturbasse”, contou.

Ainda de acordo com a ex-guia, após o ocorrido, ela saiu da sala, foi para a pousada e chorou. “Me senti uma idiota, com nojo de mim, culpada e mais uma avalanche de sentimentos vinham à tona”, afirmou.

Ela revelou não ter visto ocorrer abusos com mais ninguém, mas ouvia falar sobre a “fama de mulherengo” de João de Deus. A jovem diz ter percebido se tratar de abuso em 2017, quando foi a Abadiânia com um amigo. Na época, segundo a ex-guia, João viu seu acompanhante e não falou com ela. “Ali percebi que estava sendo assediada por ele. Foi como se tivesse caído a ficha”, completou.

Ela lembra ter exposto os abusos para poucas pessoas, mas não revelou toda a história porque sentia vergonha. Após as revelações de outras mulheres, ela aguarda por justiça. “Ele precisa pagar por todos esses crimes. Mas, principalmente, as mulheres precisam saber que essas atitudes não são normais.”

Denúncias
As primeiras denúncias de abuso sexual foram expostas na edição desse sábado (8/12) do programa Conversa com Bial, da TV Globo. Segundo o jornal O Globo, 15 mulheres já contaram ter sido abusadas pelo médium João de Deus.

O delegado-geral de Polícia Civil de Goiás, André Fernandes de Almeida, disse ao Metrópoles que a PCGO está com uma investigação em curso para apurar todas as denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus. Na segunda-feira (10/12), as vítimas começarão a ser chamadas para serem ouvidas.

O caso será apurado pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), com sede em Goiânia. De acordo com o delegado, devido à complexidade da situação e à possibilidade de intimidação das vítimas, as investigações serão conduzidas pela especializada da capital goiana e não ficarão em Abadiânia, no Entorno do DF, onde João de Deus faz suas consultas espirituais.