João de Deus: Federação Espírita condena atendimentos individuais

Todas as mulheres que denunciaram o médium por abuso sexual disseram que ficavam sozinhas com ele, muitas vezes no banheiro do escritório

Maíra Brito/Metrópoles

atualizado 09/12/2018 12:05

A Federação Espírita Brasileira (FEB) divulgou nota, na noite desse sábado (8/12), condenando atendimentos individuais, como os denunciados por 13 mulheres que acusam o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, de assédio sexual.

“O Espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com a presença do médium e da pessoa assistida”, informou a instituição. A nota, que não cita o nome de João de Deus diretamente, ainda afirma que “a doutrina Espírita atua com o trabalho de caridade material e espiritual desinteressada, sem nenhum propósito a não ser o de auxiliar os necessitados.”

O escândalo veio à tona na madrugada desse sábado (8/12), após o programa Conversa com Bial, da TV Globo, e o O Globo exibirem denúncias de, ao menos, 13 mulheres. Entre elas, a da coreógrafa holandesa Zahira Lieneke Mous.

“Ele abriu a calça, colocou a minha mão no pênis dele e começou a movimentar a minha mão. Estava em choque. Enquanto isso, ele continuava falando da minha família e disse que eu deveria sorrir. Depois, ele se limpou, me levou ao escritório, abriu um armário de pedras preciosas e mandou escolher a que eu mais gostasse”, disse.

Dias depois, ela afirma que João de Deus a puxou de novo para o banheiro. “Um padrão parecido, mas ele deu um passo adiante: me penetrou por trás“, contou ao jornalista Pedro Bial. Zahira passou quatro anos negando a si mesma o que tinha acontecido em Abadiânia, até que decidiu contar sua história em uma rede social. “Eu realmente espero poder ajudar outras mulheres a saírem desta sombra. Não precisamos sentir vergonha. Ele precisa ter vergonha”, ressaltou ao apresentador.

0

Uma outra vítima afirmou: “Ele pegava na minha mão e fazia eu pegar no pênis dele. Ele falava: ‘Você é forte, corajosa. O que está fazendo tem um valor enorme. Põe a mão, isso é uma limpeza”. Todas elas dizem que foram atendidas individualmente pelo médium, algumas até mesmo no banheiro do escritório dele, em Abadiânia.

Nascido no vilarejo de Cachoeira da Fumaça (GO), João diz ter despertado para sua mediunidade aos 9 anos. É o mais novo de seis filhos, de pai alfaiate e mãe dona de casa. Frequentou a escola apenas até o equivalente ao segundo ano do ensino fundamental, e diz não saber ler nem escrever. Trabalhou como alfaiate, minerador e ceramista. Vive em Anápolis, a 40 quilômetros de Abadiânia.

Em 2012, uma reportagem da Folha de São Paulo mostrou que João de Deus é dono de pelo menos uma fazenda de 597 alqueires na divisa de Goiás com Mato Grosso, avaliada em R$ 2 milhões. Segundo a reportagem, o médium tem o garimpo como fonte de renda.

Últimas notícias