Itamaraty agilizou na embaixada americana visto para Weintraub ir aos EUA

A missão de do ex-ministro da Educação de Bolsonaro no Banco Mundial se dará de 19 de junho a 31 de dezembro deste ano

atualizado 27/07/2020 22:09

Ministro da Educação Abraham Weintraub. Presidente e ministros participam do hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada.Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério das Relações Exteriores confirmou ao jornal Folha de S.Paulo que intercedeu junto à embaixada dos Estados Unidos no Brasil com o objetivo de obter o visto para o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub entrar em solo norte-americano.

De acordo com a reportagem, o visto foi requisitado no passaporte diplomático do ex-titular do MEC, que havia sido designado pelo governo Bolsonaro para um cargo no Banco Mundial. O pedido encaminhado pelo Itamaraty à embaixada dos Estados Unidos também informava que a missão de Weintraub no Banco Mundial se dará de 19 de junho a 31 de dezembro deste ano.

O Itamaraty informou, em nota, que o próprio Weintraub comunicou ao chanceler Ernesto Araújo que iria assumir o cargo de diretor-executivo no Banco Mundial. Por isso, o ex-ministro solicitava os “bons ofícios” das Relações Exteriores para requerer o visto.

“Na ocasião, o senhor Weintraub apresentou carta, datada de 17 de junho de 2020, pela qual o Ministério da Economia informava o Banco Mundial sobre a indicação, e solicitou os bons ofícios do Ministério das Relações Exteriores para requerer visto de entrada nos Estados Unidos”, diz trecho da nota.

O pedido de visto foi encaminhado à embaixada americana no dia do pedido de demissão de Weintraub.

Pedido de demissão

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub foi exonerado no dia 18 de junho, por detterminação do presidente Jair Bolsonaro. A medida foi tomada pelo chefe do Executivo federal após o titular da pasta se tornar alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF). O anuncio foi feito em um vídeo, com os dois lado a lado, publicado no Twitter de Weintraub.

Relembre:

Porém, a oficialização da saída do governo só ocorreu no dia 20 de junho, após Weintraub já ter viajado para Miami (EUA).

Investigação no STF

Weintraub é investigado no STF) no inquérito das fake news por ter falado em prisão de ministros da Corte e os xingado de “vagabundos”. O ex-ministro também enfrenta outra ação por suposta prática de racismo ao ironizar a China.

Procedimento “habitual”

De acordo com a reportagem, o Ministério das Relações Exteriores também afirmou que se trata de um procedimento “habitual” interceder em casos de representantes do governo brasileiro designados para atuar em instituições internacionais.

0

Últimas notícias