Projeto Elas por Elas do Metrópoles vence Troféu Mulher Imprensa

O portal concorria na categoria Melhor Reportagem Especial ou Série com Temática sobre Violência contra Mulher

O Elas por Elas, do Metrópoles, ganhou o 14° Troféu Mulher Imprensa. O projeto cobriu sistematicamente os feminicídios de 2019 no Distrito Federal. O portal concorria na categoria Melhor Reportagem Especial ou Série com Temática sobre Violência contra Mulher. As vencedoras vão receber o título de campeãs em cerimônia especial no dia 31 de março em São Paulo (SP).

Um júri especializado, composto por profissionais de relevância no mercado brasileiro, indicou as matérias especiais que tiveram destaque durante o ano de 2019. Na etapa final, a escolha foi feita por votação popular e mais de 40,7 mil votos foram registrados.

O Metrópoles ficou com 32,5% dos votos. Seguido por O Estado de S.Paulo (18%), Agência Pública (16,6%), The Intercept Brasil (11,7%), Globo Brasília (11,4%), UOL Esporte (4%), G1 Campinas (3%) e G1 Pernambuco (2,7%).

Em outras categorias, outros grandes nomes do jornalismo também levaram troféus. Maria Júlia Coutinho (Globo) venceu como Âncora ou Comentarista/Colunista de TV. Malu Gaspar (revista Piauí) foi considerada melhor Repórter de Jornal ou Revista. Djamila Ribeiro (Folha de S. Paulo) ficou em primeiro lugar das Colunistas de Jornal e Revista. (Confira a lista completa abaixo)

Sobre o projeto

Em 2019, o Metrópoles assumiu o desafio de contar as histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal. Foram 365 dias monitorando os casos ocorridos em Brasília e em suas regiões administrativas a partir dos registros da Secretaria de Segurança, do Ministério Público, do Corpo de Bombeiros Militar e das polícias Civil e Militar.

São aterrorizantes os números de violência contra a mulher em 2019: 16.954 boletins de ocorrência, enquadrados na Lei Maria da Penha, foram registrados em delegacias do DF; 89 vítimas sobreviveram a tentativas de feminicídios; e 33 ataques resultaram em morte. Os dados superaram os de 2018.

O Elas por Elas deu visibilidade às tragédias, humanizando estatísticas frias. Contamos em longos textos as histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal em 2019. Os perfis foram apurados, registrados, editados e revisados por 47 profissionais do sexo feminino, conhecidas por sua sensibilidade. A ideia foi aproximar os leitores da trajetória de vida dessas mulheres e criar empatia, único sentimento capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Além dessa indicação, o Elas por Elas levou medalha de bronze na seção Home Landing Page do prêmio internacional Ñh 2019 – Lo Mejor del Diseño Periodístico. O evento, organizado pela Society of News Design (SND), reconhece matérias visuais, fotografias, ilustrações e infográficos publicados por jornais da Espanha, de Portugal e da América Latina.

Premiação

O Troféu Mulher Imprensa, uma iniciativa da Revista e Portal Imprensa, é o único prêmio do Brasil destinado a reconhecer o trabalho jornalístico das mulheres dentro e fora das redações brasileiras. A 14ª edição visa homenagear, mediante votação popular, as jornalistas que mais se destacaram em suas áreas de atuação no ano de 2019, além de fomentar a pauta dos direitos da mulher através das categorias especiais.

 

Vencedoras

TELEJORNALISMO

• Âncora ou Comentarista/Colunista de TV
1º Maria Júlia Coutinho (Globo) – 38%
Renata Lo Prete (Globo/GloboNews) – 20%
Sandra Annenberg (Globo) – 17,6%
Adriana Araújo (Record) –  15,3%
Daniela Lima (CNN Brasil) – 9,2%

• Repórter de Telejornal
1º Sonia Blota (Band) – 25%
Dulcinéia Novaes (RPC) – 24,5%
Andréia Sadi (GloboNews/Globo) – 23%
Sônia Bridi (Globo) – 15,5%
Camila Bomfim (GloboNews/Globo) – 12,2%

RADIOJORNALISMO

• Âncora ou Comentarista/Colunista de Rádio
1º Carla Bigatto (BandNews FM) – 38,2%
Tatiana Vasconcellos (CBN) – 27,5%
Carolina Ercolin (Eldorado) – 14%
Thays Freitas (Rádio Bandeirantes) – 12,3%
Fabíola Cidral (CBN) – 8,2%

• Repórter de Rádio
1º Basilia Rodrigues (CNN Brasil/ex-CBN) – 30%
Marilu Cabañas (Rádio Brasil Atual) – 28,5%
Helen Braun (BandNews FM) – 24%
Camila Carelli (CBN/Globo) – 11%
Renata Carvalho (CBN) – 6,5%

JORNALISMO IMPRESSO

• Colunista de Jornal ou Revista
1º Djamila Ribeiro (Folha de S.Paulo) – 28%
Vera Magalhães (Estadão) – 22%
Maria Cristina Fernandes (Valor Econômico) – 19%
Eliane Cantanhêde (Estadão) – 18,7%
Flávia Oliveira (O Globo) – 12,2%

• Repórter de Jornal ou Revista
1º Malu Gaspar (piauí) – 43%
Malu Delgado (Valor Econômico) – 24%
Camila Mattoso (Folha de S.Paulo) – 17%
Consuelo Dieguez (Piauí) – 11,5%
Roberta Paduan (Veja) – 4,5%

JORNALISMO ON-LINE

• Jornalista Revelação na Web
1º Amanda Audi (The Intercept Brasil) – 31%
Juliana Wallauer (Podcast Mamilos/B9) – 27%
Marina Rossi (El País Brasil) – 15%
Talyta Vespa (UOL) – 14,5%
Beatriz Montesanti (Band Notícias) – 12,2%

COBERTURA INTERNACIONAL

• Correspondente (brasileira ou estrangeira residente no Brasil)
1º Ilze Scamparini (Globo) – 26%
Carolina Cimenti (GloboNews) – 25,3%
Heloisa Villela (Record) – 19,6%
Bianca Rothier (GloboNews/Globo) – 15,3%
Shannon Sims (Jornalista independente) – 14%

FOTOJORNALISMO

• Fotojornalista
1º Gabriela Biló (Estadão) – 31%
Marlene Bergamo (Folha de S.Paulo) – 23%
Isabella Lanave (Fotógrafa) – 18%
Márcia Foletto (O Globo) – 16,3%
Luisa Dörr (Fotógrafa) – 12%

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

• Assessora de Comunicação – Agência
1º Juliana Boechat (Torre Comunicação e Estratégia) – 33%
Roberta Lippi (Brunswick) – 23,7%
Alessandra Ritondaro (Weber Shandwick) – 23,4%
Gisele Lorenzetti (LVBA Comunicação) – 10%
Juliana Gilio (JeffreyGroup) – 9,7%

• Assessora de Comunicação – Corporativa
1º Isabel Clavelin (ONU Mulheres Brasil) – 48%
Cristiane Santos (Pfizer) – 28,3%
Kátia Gianone (Microsoft) – 10,7%
Leandra Peres (B3) – 6,7%
Claudia Buzzette Calais (Fundação Bunge) – 6%

• Comunicação Pública
1º Rosângela Sanches (Tribunal de Justiça/SP) – 29,4%
Vanessa Pessoa (Secretaria Municipal de Transportes/SP) – 23,7%
Ana Cristina Rosa (Tribunal Superior Eleitoral/DF) – 19%
Leticia Bragaglia (Assessoria de Imprensa do Governo do Estado de SP) – 15%
Aline Castro (TRT/SP) – 13%

DESTAQUE (em todas as mídias)

• Repórter ou Comentarista Esportiva
1º Marcela Rafael (ESPN) – 26%
Glenda Kozlowski (SBT) – 24%
Monique Vilela (Rádio Banda B) – 23,8%
Ana Thaís Matos (SporTV) – 17,5%
Bárbara Coelho (Globo) – 8,4%

• Repórter Investigativa
1º Daniela Arbex (Jornalista independente) – 36%
Patrícia Campos Mello (Folha de S.Paulo) – 30,7%
Andrea Dip (Agência Pública) – 12%
Bela Megale (O Globo/Época) – 11%
Thais Bilenky (Piauí) – 10,2%

• Jornalista empreendedora
1º Carolina Oms (AzMina) – 33%
Kátia Brasil (Amazônia Real) – 29,2%
Mara Luquet (MyNews) – 20%
Natalia Viana (Agência Pública) – 12,2%
Cristina De Luca (The Shift) – 5,3%

EDUCAÇÃO

• Contribuição Acadêmica ao Jornalismo
1º Luisa Medeiros Massarani (Fundação Oswaldo Cruz) – 26%
Natália Mazotte (PUC-RS e COPPE/UFRJ) – 21%
Cremilda Medina (USP) – 21%
Graça Caldas (Unicamp) – 17,6%
Tattiana Gonçalves Teixeira (UFSC) – 14,4%

PRÊMIO ESPECIAL

• Melhor Reportagem Especial ou Série com Temática Sobre Violência Contra Mulher
1º Elas por Elas (Metrópoles/DF) – 32,5%
2º Deixa Ela (Capitu/Estadão) – 18%
3º Fome substantivo feminino (Agência Pública) – 16,6%
Abusos no Campus (The Intercept Brasil) – 11,7%
Vida em risco: a violência contra a mulher (DF1/Globo Brasília) – 11,4%
Vozes no Tatame (UOL Esporte) – 4%
Vidas Contadas – Feminicídios (EPTV Campinas/G1) – 3%
#TodosPorElas (G1 Pernambuco e TV Globo) – 2,7%

• Melhor Projeto, Canal ou Programa Sobre a Temática Feminina
1º Não me Kahlo – 31%
2º Aplicativo PenhaS (AzMina) – 20,6%
3º Nós, Mulheres da Periferia – 13,2%
Huffpost Brasil – Mulheres – 8%
Think Olga – 7,6%
Blogueiras Negras – 7%
ONU Mulheres – 4,7%
Universa (UOL) – 3,6%
Agência Patrícia Galvão – 3,4%
Blogueiras Feministas – 1%